i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Petróleo

Senado vota nesta quarta (17) projeto que desobriga Petrobras de explorar pré-sal

Proposta do senador José Serra (PSDB-SP) permite que a empresa abra mão de ser a operadora única do pré-sal em determinados leilões

    • Brasília
    • Folhapress Web
    • 16/02/2016 16:10
    Presidente do Senado, Renan Calheiros, confirmou o início das discussões do projeto que muda regras de exploração do  pré-sal. | Valter Campanato/Agência Brasil/Fotos Públicas
    Presidente do Senado, Renan Calheiros, confirmou o início das discussões do projeto que muda regras de exploração do pré-sal.| Foto: Valter Campanato/Agência Brasil/Fotos Públicas

    O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), confirmou nesta terça-feira (16) que a Casa analisará o projeto que permite à Petrobras abrir mão de ser a operadora única do pré-sal em determinados leilões de áreas de exploração de petróleo até esta quarta (17). Os senadores deverão iniciar a discussão sobre a proposta ainda na sessão plenária desta terça e concluirão a votação no dia seguinte.

    “Vamos deliberar o mais rapidamente possível. É uma matéria de interesse nacional e nós precisamos resguardar o interesse estratégico do Brasil, mas é preciso acabar com a obrigatoriedade dos 30%”, disse Calheiros, após se reunir com os líderes partidários no Senado.

    Presidente da Petrobras fala em nova captação para melhorar dívida

    Leia a matéria completa

    Apesar de ter sido contra inicialmente, a presidente Dilma Rousseff acabou concordando, no início do mês, com a votação da proposta. No entanto, ela teme que a aprovação da medida seja o início de mudanças mais profundas nas regras de partilha de produção.

    Contrário à proposta, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) protestou contra a decisão. Para o petista, o projeto não deveria ser discutido pelo Senado no momento em que o preço do barril de petróleo é vendido a preços baixos em todo o mundo.

    Durante a reunião, ele pediu a Calheiros para que adiasse a votação e disse que a informação passada do PT é de que Dilma é contrária à medida. “As informações que chegam sobre a posição do governo neste momento são divergentes. Pelo menos para a gente estão falando outras coisas”, disse.

    “Acho que a lógica do projeto é de que a Petrobras está com dificuldades de financiamento, está endividada. Vamos tirar a Petrobras para avançar na exploração do pré-sal. Mas fazer isso com o barril de petróleo a US$ 30, para nós, é doação. Vamos doar as grandes multinacionais de petróleo a preço de banana”, completou.

    O projeto, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), acaba, na prática, com a obrigatoriedade de a estatal ser a operadora única do pré-sal e ter, no mínimo, 30% de todos os campos desta área que forem a leilão. Com a proposta, a estatal pode ficar fora de leilões do pré-sal caso considere que a área a ser licitada não lhe interessa ou esteja sem caixa para participar da disputa.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.