i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Araucária

Sindicato faz denúncia de falta de funcionários na Repar

Documento foi entregue ao Ministério Público do Trabalho (MPT). Funcionários reivindicam contratação de 500 novos funcionários para refinaria

  • PorAntonio Senkovski e Pedro Brodbeck
  • 06/08/2013 09:20

Um grupo de 50 funcionários da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), da Petrobras, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, oficializou nesta terça-feira (6) uma denúncia de que faltam servidores para trabalhar no local. Um documento que aponta as supostas irregularidades foi entregue no Ministério Público do Trabalho (MPT). O Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro – PR/SC) diz que o órgão informou que vai fazer diligências na refinaria para verificar as denúncias.

O sindicato afirma que, em razão da falta de profissionais qualificados, alguns trabalhadores que deveriam cumprir jornadas máximas de oito horas passam mais de 16 horas em um mesmo turno. O sindicato reivindica a contratação de pelo menos 500 novos colaboradores – a refinaria tem cerca de 900 funcionários.

O presidente do Sindipetro, Silvaney Bernardi, diz que uma paralisação foi convocada desde o início desta terça. A refinaria, no entanto, não teria liberado os funcionários que entraram no trabalho às 15h30 de segunda (5). "Na reunião no MPT, discutimos também as práticas anti-sindicais que a empresa tem. Não deixa os funcionários saírem para a paralisação para não parar o expediente, não senta com o sindicato para negociar o contingenciamento e leva esse grupo até a exaustão, o que é extremamente perigoso".

Devido ao horário de almoço, ainda não foi possível saber qual será a ação do Ministério Público do Trabalho em relação ao caso.

Outro lado

Por meio de nota, a Petrobras informou que tem como prática tomar todas as medidas necessárias para garantir a normalidade das operações da companhia e que seu efetivo está adequado e compatível com o crescimento da refinaria. Segundo ela, as condições de segurança dos trabalhadores da companhia estão mantidas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.