i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise

Suíça diz que banco UBS pode precisar de mais ajuda

  • PorAgência Estado
  • 23/11/2008 09:32

O presidente da Comissão Bancária Suíça, Daniel Zuberbuehler, afirmou que não descarta a possibilidade de o banco UBS precisar de mais ajuda por parte do governo para superar a crise financeira, segundo informou o jornal SonntagsZeitung.

Zuberbuehler disse ao jornal que a ajuda de US$ 60 bilhões concedida ao UBS pelo governo suíço no mês passado estabilizou a situação de liquidez do banco. Entretanto, ele afirmou que "se você olhar para os desdobramentos do mercado, ainda está em aberto se o pacote de medidas será suficiente". Ele avaliou que o UBS é o maior banco da Suíça e, se enfrentar mais dificuldades o governo "pode ter que injetar mais capital".

Da ajuda de US$ 60 bilhões, cerca de US$ 5 bilhões serão usados para inflar as reservas do banco e US$ 54 bilhões, para ajudá-lo a se desfazer de ativos de alto risco. Os lucros da venda destes ativos serão divididos entre o Banco Nacional Suíço (o banco central do país) e o UBS. O porta-voz do UBS Dominique Gerster se recusou a comentar a questão, mas disse que o banco está em contato normal com a comissão bancária do país.

Para o presidente da comissão, é improvável que outro banco assuma o UBS, uma vez que um eventual comprador teria que adquirir todo o acordo de resgate, incluindo ações ilíquidas do UBS mantidas pelo BC suíço. Ele descartou uma fusão entre o UBS e o Credit Suisse, afirmando que os riscos de uma operação deste porte seriam muito elevados sob as condições atuais do mercado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.