i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Desabastecimento

Supermercados do interior têm estoque para mais cinco dias

  • PorTalita Boros Voitch
  • 26/02/2015 03:00

Supermercados do interior do Paraná têm estoque de produtos perecíveis para mais cinco dias, caso a paralisação dos caminhoneiros, que já dura mais de uma semana, continue. As regiões que sofrem mais risco de desabastecimento são as de Pato Branco, Francisco Beltrão, Maringá, Londrina, Cascavel, Toledo e Irati, segundo a Associação Paranaense de Supermercados (Apras), mas outras cidades também estão tendo problemas de recebimento de produtos.

A gerente do Supermercado Ítalo, de Dois Vizinhos, Otavia Guedin de Carli, disse que o maior problema é a falta de reposição de laticínios e produtos de hortifrutti. “Não está chegando praticamente nada. Como a gente tem estoque, estamos conseguindo vender ainda, mas alguns itens como batata, estamos com falta há três dias”, disse.

De acordo com a Apras, o abastecimento de perecíveis e combustíveis atinge mais de 55% das lojas nas regiões citadas. Outro fator preocupante é o abastecimento de mercearia seca, que compreende de produtos como óleos, arroz, farinha e feijão, já que os caminhões não estão tendo acesso aos supermercados e aos centros de distribuição. Segundo a Apras, a região de Pato Branco é uma das mais prejudicadas com 80% dos produtos sem chegar nos centros de distribuição.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.