i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
energia

Tarifa diferenciada na conta de luz tem apoio da Abradee

Aneel avalia hipótese de aplicar preços distintos dependendo do horário em que ocorre o consumo de energia

  • Poragência estado
  • 03/07/2009 17:03

Representantes das empresas distribuidoras de energia elétrica e dos trabalhadores do setor elétrico aprovaram a iniciativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de estudar o possível estabelecimento de tarifas diferenciadas, por horário, para o consumo residencial de energia. A preocupação, porém, diz respeito ao custo de implantação dos medidores eletrônicos, necessários para que tal tipo de cobrança possa ser colocada em prática.

A Aneel avalia a hipótese de aplicar preços distintos para a energia dependendo do horário em que ocorre o consumo. A ideia é fixar preços mais baratos para os horários de menos uso da rede, de modo a promover o uso mais eficiente da energia. Assim, por exemplo, usar o chuveiro elétrico mais para o fim da noite sairia mais barato do que no chamado horário de pico, entre as 18 horas e as 21 horas.

Para o diretor técnico e regulatório da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Fernando Maia, o estudo da Aneel é bem-vindo e representa uma disposição para modernizar o sistema tarifário brasileiro, que data de 1982. Segundo ele, a diferenciação da tarifas por horários poderia fazer com que o consumo residencial se dilua melhor ao longo do dia - em vez de se concentrar entre o fim da tarde e o começo da noite. "E isso torna o uso da rede mais barato para todos. Hoje, as empresas investem para que as redes possam atender aquele momento de pico, e depois operam com sobras", disse Maia.

O diretor da Abradee ressalta, entretanto, que a troca dos atuais medidores analógicos pelos eletrônicos (capazes de diferenciar o consumo pelo horário) em todo o País levaria de cinco a 10 anos para ser completada. "Hoje temos 60 milhões de medidores residenciais espalhados pelo País", disse. Mas, segundo ele, poderiam ser feitos, em um primeiro momento, testes com as tarifas diferenciadas em distribuidoras menores, ou em determinadas regiões dentro de uma área de concessão. "Poderia ser feito, por exemplo, um teste apenas no Plano Piloto, em Brasília", disse.

A questão central, afirmou Maia, é avaliar se o investimento na troca dos medidores - que acabaria sendo repassado para as próprias tarifas - seria compensado pela economia a ser gerada com a eventual cobrança diferenciada.

O diretor do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, Leandro da Silva Netto, também elogiou os estudos da Aneel, mas ressaltou que o custo dos medidores não pode ser repassado para os consumidores. "O sindicato avalia esses estudos positivamente desde que não sejam repassadas aos consumidores as despesas operacionais dessa mudança", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.