Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta terça-feira como um momento histórico a recompra dos bradies - títulos da dívida externa emitidos na renegociação após o calote brasileiro da dívida externa na década de 80.

- Essa recompra tira uma mancha do currículo do Brasil - afirmou.

O Tesouro Nacional recomprou um total de US$ 6,634 bilhões em bradies, incluídos aí os juros. Foram utilizados US$ 5,6 bilhões das reservas internacionais e US$ 840 milhões já captados pelo Banco Central neste ano. Deste total, US$ 1,4 bilhão voltará às reservas internacionais, pois a compra antecipada vai liberar garantias em Treasuries - títulos da dívida americana - que funcionavam como lastro dos bradies. Os recursos que devem voltar às reservas estarão disponíveis em 15 dias úteis.

A economia em juros com o resgate antecipado dos Bradies chega a US$ 344 milhões. Alguns destes títulos venciam em 2024.

O governo anunciou ainda que manterá a política de recompra de títulos da dívida externa brasileira com vencimento até 2010. Além do resgate dos Bradies, o BC já havia gasto US$ 3,7 bilhões com a recompra de outros títulos. No total, o governo já resgatou neste ano, somando as operações do BC e a recompra dos Bradies, US$ 10,2 bilhões da dívida externa, o que impacta as contas em US$ 14,7 bilhões, ao se contabilizar a economia no fluxo futuro de juros destes papéis.

A expectativa do governo é gastar até US$ 20 bilhões neste ano para resgatar todos os papéis da dívida externa com vencimento até 2010.

- Já conseguimos resgatar a metade do que planejamos para este ano. A partir de agora a nossa política continua, porém a operacionalização é mais difícil, pois temos de ir a mercado, não poderemos exercer a opção de recompra, como nos bradies - esclareceu o secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall.

Com estas operações, ainda restará US$ 1,024 bilhão em dívidas externas pré-bradies, ou seja, anteriores à década de 80. O governo não tem planos de resgatar estes papéis, já que o custo da operação seria muito alto para um valor pequeno de dívida.

O ministro da fazenda ainda comemorou o fato de que, com a liquidação dos Bradies, o valor da dívida externa deverá se equiparar ao montante das reservas internacionais até dezembro. Hoje, após estas operações, as reservas internacionais estão em US$ 54,7 bilhões e a dívida externa em US$ 65 bilhões.

- Com essa recompra de Bradies e com o compromisso de recomprar os títulos que vencem até 2010 praticamente esgotamos o espaço para melhorarmos a nossa dívida externa. Ainda poderemos alterar o perfil e alongar o vencimento. Estamos diminuindo como nunca nossa vulnerabilidade externa - completou o secretário do Tesouro, Carlos Kawall.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]