i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise

União Europeia decide socorrer a Grécia

  • PorAgência Estado
  • 11/02/2010 06:37

Os países europeus, em particular os 16 que fazem parte da zona do euro (países que compartilham a moeda comum), vão dar suporte à Grécia para enfrentar sua crise orçamentária. A informação foi divulgada na quarta-feira (10) pelo primeiro-ministro da Espanha, Jose Luis Rodriguez Zapatero, que exerce a presidência rotativa da União Europeia. O acordo foi possível depois que as maiores economias da Europa, Alemanha e França, chegaram a um entendimento de que precisariam agir para desbloquear as negociações de um resgate da economia da Grécia e impedir que o euro sofra um desgaste em sua credibilidade.

"Temos de dar suporte à Grécia, isso está claro, e é a Europa e o zona do euro que farão isso", disse Zapatero à imprensa, ao desembarcar em Bruxelas para um encontro dos socialistas europeus, na véspera da reunião de cúpula da UE, prevista para hoje. Zapatero não deu detalhes sobre o tipo de apoio à Grécia, que seria negociado nesta madrugada e anunciado hoje na reunião de cúpula.

A aliança franco-alemã foi construída nos últimos dias, enquanto crescia a pressão do mercado sobre o euro e um questionamento cada vez maior sobre a capacidade da UE de dar solução às suas crises. Com o apoio das duas maiores economias do bloco, ministros de Finanças fizeram ontem uma teleconferência para debater uma saída. No fim do dia, foi a vez dos membros do conselho do Banco Central Europeu (BCE) se reunirem com o mesmo objetivo. Jean-Claude Juncker, presidente da zona do euro e primeiro-ministro de Luxemburgo, disse que a proposta surgiu depois dessas reuniões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.