034816

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. Varejo tem maior alta desde 2013, mas Natal sofre com “ressaca” da Black Friday

Resultados

Varejo tem maior alta desde 2013, mas Natal sofre com “ressaca” da Black Friday

Vendas no varejo brasileiro avançaram em 2,3%, em 2018, ante o ano anterior, segundo resultados divulgados pelo IBGE

  • Rio
  • Estadão Conteúdo
Altas de novembro puxaram para baixo resultados do Natal | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Altas de novembro puxaram para baixo resultados do Natal Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

As vendas no varejo brasileiro avançaram 2,3% em 2018, segundo informações divulgadas pelo IBGE nesta quarta-feira (13). Foi o melhor resultado desde 2013, ano em que o volume de vendas do comércio teve um crescimento de 4,3%. Apesar do crescimento, dados do mês de dezembro indicam que as vendas de Natal sofreram com a “ressaca” da Black Friday.

Em dezembro, o setor apresentou um recuo de 2,2% no volume de vendas, na comparação com novembro. Cinco das oito atividades analisadas pelo instituto apresentaram queda no mês.

Os recuos que mais influenciaram no mês do Natal foram de artigos pessoal e doméstico (- 13,1%), móveis e eletrodomésticos (- 5,1%) e tecidos, vestuários e calçados (- 3,7%). Os três segmentos apresentaram altas no mês anterior, principalmente devido às promoções de Black Friday.

LEIA TAMBÉM: Governo decide sobretaxar leite europeu; próxima briga pode ser com o Uruguai

O resultado de dezembro veio abaixo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, do Estadão, que esperavam desde uma queda de 1,7% a avanço de 1,2%, com mediana negativa de 0,1%.

Na comparação com o ano anterior, no entanto, as vendas do varejo no mês do Natal tiveram alta. Sem ajuste sazonal, as vendas de dezembro de 2018 cresceram em 0,6% em relação a 2017. O resultado também ficou aquém das expectativas dos analistas, que iam de uma alta de 1,5% a 6,8%, com mediana positiva de 3,8%, nesse confronto.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 2,3% no ano de 2018, perto do piso das previsões (alta de 2,1% a 3,0%, com mediana positiva de 2,6%).

Varejo ampliado

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 1,7% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio no piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 1,7% a alta de 1,6%, com mediana negativa de 0,8%.

Na comparação com dezembro de 2017, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 1,8% em dezembro de 2018. Nesse confronto, também coincidiu com o piso das projeções, que variavam desde um aumento de 1,8% a 7,6%, com mediana positiva de 4,0%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 5,0% no ano de 2018, ficando abaixo da mediana das estimativas (calculada em 5,2%, com base num intervalo de 4,10% a 5,60%).

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE