Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Em pronunciamento na TV, Milton Ribeiro pede retorno imediato às aulas presenciais
Em primeiro pronunciamento em rede nacional, ministro da Educação diz que vacinação de toda a comunidade escolar não pode ser condição para a reabertura das escolas| Foto: Reprodução Twitter Milton Ribeiro

Em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV na noite desta terça-feira (20), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, defendeu o retorno imediato às aulas presenciais no país com a observância das medidas de segurança contra a transmissão da Covid-19.

O ministro citou que permanecer mais tempo com escolas fechadas refletirá em impactos educacionais ainda maiores nesta e nas próximas gerações e citou estudos da Unesco, Unicef e OCDE que apontam que o fechamento de escolas traz impactos a um grande número de estudantes, como perda de aprendizagem, menor qualificação para o trabalho, aumento da evasão escolar e implicações emocionais.

>> NOVIDADE: faça parte do canal de Vida e Cidadania no Telegram

“Vários países retornaram às aulas presenciais ainda em 2020, quando sequer havia previsão de vacinação. O uso de álcool-gel, a utilização de máscaras e o distanciamento social são medidas que o mundo está utilizando com sucesso. Portugal, Chile, França, Espanha, Áustria Rússia e tantos outros países já estão com seus alunos em sala de aula há muito tempo”, disse o ministro.

Ribeiro também citou investimentos do MEC em protocolos de segurança nas escolas, pontuou que a autorização para a volta às aulas presenciais depende das autoridades estaduais e municipais e disse que a vacinação de toda a comunidade escolar não pode ser condição para a reabertura das escolas.

Desde o início de junho, professores e demais profissionais de educação passaram a integrar os grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19 em todos os estados brasileiros com o objetivo de acelerar a retomada presencial, porém vários estados ainda não determinaram datas para o retorno.

23 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]