Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
De acordo com a Upes, 250 escolas estão ocupadas pelos estudantes | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
De acordo com a Upes, 250 escolas estão ocupadas pelos estudantes| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Em uma transmissão ao vivo realizada em sua página no Facebook, o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, afirmou na noite de ontem (12) que os estudantes do Paraná não farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) caso as ocupações nas escolas e a greve dos professores estaduais sejam mantidas. No vídeo, que tem cerca de 2 mil visualizações, Rossoni diz que a informação teria sido repassada pelo Inep, instituto responsável pela aplicação do exame, à Secretaria de Estado de Educação (Seed).

VÍDEO: Assista ao vídeo publicado por Valdir Rossoni

Leia também: Ocupações já englobam 250 escolas de ensino médio do Paraná

Entenda a proposta de reforma do ensino médio

Procurado pela reportagem, o Inep reafirmou, em nota, que a realização do Enem para os quase 420 mil inscritos no estado está confirmada para os dias 5 e 6 de novembro, de acordo com o calendário oficial do exame.

Segundo o governo do estado, a aplicação das provas poderia ser prejudicada nas escolas ocupadas ou que viessem a ser fechadas em decorrência da greve dos professores, marcada para a próxima segunda-feira (17).

“Nossa técnica que atende o Enem recebeu um telefonema do Inep na terça-feira (11) perguntando sobre como estavam as ocupações no Paraná. É uma preocupação do Inep e nossa porque temos que informar ao instituto as condições dos prédios [que receberão a prova] até o dia 20 [de outubro]. Se as escolas estiverem ocupadas por alunos ou fechadas pelos professores, o Inep irá tirá-las da listagem de realização do Enem, o que irá prejudicar os alunos [que prestariam o exame nessas instituições]”, explica a secretária de Educação, Ana Seres.

A secretária acrescenta que, caso as ocupações continuem crescendo, há risco de o exame não ser aplicado em nenhuma escola do estado. O Inep, por sua vez, garante por meio da nota que, caso alguma escola onde será realizado o exame esteja ocupada nos dias das provas, tomará as medidas necessárias para que nenhum inscrito no Enem seja prejudicado.

Pressão

Desmentida pelo Inep, a fala do chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, soa como mais uma tentativa do governo do Estado de conter o movimento de ocupação realizado pelos estudantes e a greve dos professores estaduais. Isso porque, caso fosse confirmada pelo instituto, a possibilidade da não realização do Enem poderia fazer com que ambas perdessem força dentro da comunidade escolar.

“Acho que os estudantes têm o direito e muitas formas de se manifestar. O que eles não podem é obstruir a possibilidade de termos aula, o que traz prejuízos para os que não querem participar das ocupações e não querem entrar em greve”, aponta Rossoni.

Ocupações e greve ameaçam Enem, diz Rossoni

O Secretário-chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, postou um vídeo no seu perfil no Facebook afirmando que o Ministério da Educação (MEC) pode não realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Paraná caso as ocupações nas escolas continuem e houver greve de professores. Inep, órgão do MEC, não confirma a informação.

+ VÍDEOS

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]