i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ESPAÇO

Estrutura ideal tem foco na aprendizagem

Salas, quadras e auditórios são importantes, mas pais devem conferir como os ambientes são usados

  • PorRenan Araújo, especial para a Gazeta do Povo
  • 25/10/2014 21:02
Quadras esportivas amplas e seguras garantem prática esportiva de qualidade | Henry Milléo/Gazeta do Povo
Quadras esportivas amplas e seguras garantem prática esportiva de qualidade| Foto: Henry Milléo/Gazeta do Povo

Localização

Conjunto de qualidades compensa distância

A escola pode ter boa estrutura, mas se for muito distante de casa as dificuldades cotidianas de deslocamento podem comprometer a matrícula. "Esse é um fenômeno comum do estilo de vida dos grandes centros urbanos. Fora do raio entre o trabalho e a residência, há dificuldade de se adaptar a trajetos para locais distantes", afirma o professor de história da educação pela UFPR, Marcus Levy.

A distância, no entanto, não deve ser analisada como um critério independente ou prioritário, diz a professora Flávia Dias de Souza, do departamento de Educação da UTFPR. Para ela, casos em que a metodologia e estrutura sejam satisfatórias podem compensar o tempo e o esforço do deslocamento. "Os pais não podem isolar o critério da localização em detrimento às demais", recomenda.

No caso da família de Analigia Battini, a proximidade do colégio escolhido foi bastante conveniente, mas não decisiva na escolha final. Morando a três quadras da escola dos filhos, ela os busca diariamente quando volta do trabalho, mas garante que procuraria opções mais distantes se não estivesse satisfeita. "Se está perto e está bom, ótimo. Mas se for perto e a escola estiver ruim, você acaba mudando de colégio", diz.

Nada chama mais a atenção dos pais na hora de visitar uma escola do que a infraestrutura do estabelecimento. Por isso mesmo, as famílias precisam resistir ao encantamento e analisar com objetividade o que a instituição oferece. Se o foco é a aprendizagem, conforto e segurança são importantes, mas não devem ser os únicos elementos a serem considerados. Espaços para atividades esportivas e de lazer são alguns dos elementos que não podem faltar.

O tamanho de cada ambiente também conta. "A escola deve ter salas amplas, em que os alunos tenham espaço para trabalhar em grupo e fazer atividades", destaca o consultor em educação Renato Casagrande. Ele cita ainda como diferenciais relevantes a utilização de tecnologias e espaços adequados para atividades culturais como aulas de teatro, dança e música.

A professora Flávia Dias de Souza, do departamento de educação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), sugere que as famílias verifiquem em quais condições os alunos utilizam a estrutura escolar. "Os pais devem ver a oferta em relação a vários recursos. Não adianta ter laboratórios de alta qualidade, por exemplo, se há um rodízio muito grande para a utilização desses equipamentos e os alunos demoram para usá-los", argumenta. O mesmo vale para quadras esportivas e outros espaços de uso comum dos alunos.

Visita

Para especialistas, o melhor momento de se visitar uma escola não é durante as férias ou nos fins de semana, mas sim num dia comum do ano letivo, quando os alunos estão usando os ambientes com naturalidade. "Quando você visita durante as férias não vê a estrutura em funcionamento. O pai deve entrar e sentir como é a interação, o atendimento e o respeito da escola", explica Casagrande.

Já o professor de história da educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Marcus Levy, ressalta que as famílias não devem tomar uma decisão sem antes saber o que os filhos pensam da escola. "Os pais também devem escutar os filhos na hora da decisão. Eles precisam de um lugar no qual se sintam bem", defende o professor.

Para a dentista Analigia Battini, que tem os filhos Raphael, 12, Anna Cecilia, 9, e André Luiz, 7, estudando no Colégio Expoente, o que lhe chamou a atenção na escola foi a variedade de atividades proporcionada pelos ambientes. "Há uma horta, uma área de lazer, quadras de esporte e biblioteca. Eles nunca estão ociosos, estão sempre sendo incentivados a buscar alguma atividade para preencher o tempo".

Sofisticadas ou simples?

O consultor em educação Renato Casagrande divide as escolas em dois grandes grupos. Segundo ele, há aquelas premiadas, com tradição e já reconhecidas pelo mercado. Essas têm mensalidades maiores e uma estrutura compatível. Com elas não há grande preocupação com a localização, já que o pai vai atrás da escola. As mais simples e sem a mesma estrutura atraem por causa do preço e do endereço.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.