Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Proibido de realizar palestra no IFPR, Guilherme Boulos reúne estudantes na rua
| Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Convidado por um grupo de estudantes para palestrar no Instituto Federal do Paraná em Curitiba nesta sexta-feira (9), Guilherme Boulos, líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) e ex-candidato à presidência pelo partido PSOL, foi proibido pela procuradoria da instituição de usar as dependências do IFPR para realizar o evento.

Leia também: Em favor de vestibular para transgêneros, alunos ocupam e depredam universidade

Em março, o ex-candidato à presidência participou de um evento na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, no qual pregou a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pediu que os estudantes se unissem contra "a turma de Bolsonaro".

Apesar da determinação, Boulos e os estudantes se reúnem, na rua em frente à instituição, na manhã de hoje.

Um dia antes do evento "em defesa da Educação e da Democracia e contra os desmandos de Bolsonaro", a direção-geral do campus enviou uma notificação a todos os estudantes e professores do IFPR informando a proibição do debate.

"Considerando que o Instituto Federal do Paraná está em processo de consulta eleitoral para os cargos de reitor e diretor-geral de campus, e o regulamento vigente veta, sob qualquer pretexto, a vinculação com partidos políticos, considerou-se, por medida preventiva, a não realização do evento no auditório do Campus", informou o IFPR em nota.

"Não vamos aceitar"

Informado da proibição, Guilherme Boulos publicou mensagem nas redes sociais afirmando que "não iria aceitar o veto arbitrário e ilegal vindo de um procurador que veste a fantasia do famoso guarda da esquina".

"A atividade vai acontecer amanhã no IFPR. Nos proibiram a entrada, o uso das dependências do instituto, então vamos fazer a atividade na frente. Ela está mantida, nós não vamos aceitar arbítrio, proibição, veto. Chega!", disse em vídeo publicado no Facebook. "Não vamos aceitar a proibição arbitrária e ilegal vinda de um procurador que veste a fantasia do famoso guarda da esquina. Aqui, não!".

41 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]