Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
MEC define novas datas para o Enem em 2021
| Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 será realizado em janeiro de 2021. As novas datas foram anunciadas pelo Ministério da Educação (MEC) nesta quarta-feira (08). A pasta definiu que a primeira prova do exame impresso ocorrerá em 17 de janeiro e a segunda etapa em 24 de janeiro. O adiamento foi motivado pela pandemia, por isso o Enem não será aplicado neste ano.

Já o Enem Digital será realizado nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Os resultados das provas serão divulgados a partir de 29 de março.

A reaplicação do exame foi marcada para os dias 24 e 25 de fevereiro. As informações foram apresentados em coletiva de imprensa conduzida pelo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, e pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Ribeiro Pereira Lopes.

As datas, porém, serão diferentes das que tinham sido apontadas na enquete realizada com os candidatos. Nela, a maioria optou pelo mês de maio. De acordo com Lopes, as novas datas foram definidas após ampla discussão com secretarias de Estado da Educação.

O presidente do Inep e o secretário-executivo do MEC afirmaram ainda que a aplicação em maio inviabilizaria o calendário do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de parte das universidades.

Outras entidades como a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) também participaram da decisão.  “Sabemos que não é uma decisão perfeita para todos. Então, nós buscamos uma solução técnica. O trabalho foi estritamente técnico e tentando ver a data que se melhor se adequa para todos”, salientou.

Coronavírus

O presidente do Inep também informou que o órgão continua com os preparativos normalmente para o Enem - mesmo sem um ministro à frente do MEC. E que, para a segurança dos candidatos, será obrigatório o uso de máscaras e os protocolos de saúde já definidos pelo Ministério da Saúde, tais como uso de álcool em gel e distanciamento de pelo menos um metro.

“Já estamos aplicando essas medidas junto ao Consórcio aplicador para garantir a segurança sanitária dos participantes durante a aplicação das provas”, afirmou Lopes.

Ele informou ainda que haverá menos alunos por sala e um número maior de aplicadores. "Estamos tranquilos para executar o Enem em janeiro. Os procedimentos operacionais do Inep estão em dia" acrescentou.

A presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Cecília Mota, aprovou as novas datas e disse que a decisão foi a melhor alternativa para que os alunos da rede pública não sejam prejudicados com o Sisu, Prouni ou o Fies.

Sistema de Seleção Unificada (Sisu)

O secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, também pontuou durante a coletiva que a pasta está aberta a possibilidade da realização de três Sisus no ano que vem, caso isso seja necessário para as entidades de Ensino Superior.

"Nós estamos disponíveis para esse diálogo. Historicamente, nós temos dois Sisus, o primeiro no começo do ano e outro na segunda parte, que está aberto inclusive. Mas caso seja necessário, tendo em vista essa excepcionalidade que estamos vivendo por conta da pandemia, nós podemos abrir mais um Sisu. Isso não está definido ainda, mas se for necessidade das instituições, em consenso com elas a gente abriria mais um", explicou ele.

Vogel ainda afirmou que a nota que será utilizada para o Sisu vai ser a nota do Enem de 2021.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]