Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Fachada de um dos edifícios principais da Universidade de Missouri.
Fachada de um dos edifícios principais da Universidade de Missouri. Foto: Institucional.| Foto: Photo by Rob Hill

Fã do economista Ludwig von Mises e da Escola Austríaca de economia, o milionário Sherlock Hibbs, falecido em 2002, deixou em testamento US$ 5 milhões para que a Universidade de Missouri contratasse professores “discípulos” de Mises e simpatizantes do livre mercado. Caso a instituição não quisesse usar o dinheiro para esse fim, a quantia deveria ser destinada à instituição conservadora Hillsdale College, em Michigan.

Agora, a Universidade de Missouri enfrenta uma ação judicial movida pela Hillsdale. Segundo a entidade conservadora, a universidade recebeu a doação, mas gastou o dinheiro para contratar docentes que não têm nenhum apreço a von Mises ou ao pensamento econômico austríaco.

Leia também: Evento na UnB traz cubano com dinheiro público, tem “Lula Livre” e críticas a Bolsonaro e Trump

“A Universidade de Missouri nunca nomeou um docente dedicado e sintonizado com os princípios da Escola de Economia de Ludwig von Mises”, escreveram os advogados da Hillsdale na petição inicial do processo. “Em vez disso, a Universidade gastou milhões de dólares nos últimos 15 anos em indivíduos que não seguem esse pensamento econômico”.

Os professores financiados pela doação de Hibbs, segundo o Columbia Daily Tribune, são Dan Turban, Karen Schnatterly, Rhonda Reger e Lisa Scheer. Em 2018, eles assinaram uma declaração dizendo que seguem as diretrizes da Escola de Economia austríaca. Mesmo assim, nenhum deles orientou pesquisas sobre von Mises ou sobre a Escola Austríaca de Economia ou ministra aulas sobre o tema.

Procurada, a assessoria de imprensa da universidade informou ao jornal Reason que a doação “não impunha restrições ao currículo nem ao trabalho de pesquisa dos professores, mas apenas pergunta sobre a sua crença nesse modelo econômico específico”.

Phil Magness, pesquisador do Instituto Americano para Pesquisa Econômica, ao analisar o caso e o currículo dos professores contratados afirmou que nenhum deles têm ligação com von Mises. “Nenhum dos docente nomeados parece ter qualquer pesquisa significativa ou conexão com a economia austríaca”, disse Magness ao Reason. “Parece que o Missouri aceitou o dinheiro, depois falhou em honrar os termos do doador”.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]