i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições 2020

Apenas um dos sete candidatos apoiados por Bolsonaro nas capitais se elegeu

  • PorAndrea Torrente, especial para a Gazeta do Povo
  • 30/11/2020 09:08
Apenas um dos sete candidatos apoiados por Bolsonaro nas capitais se elegeu
| Foto: Marcos Correa/PR

O segundo turno das eleições municipais confirma o desempenho pífio não só do PT – que pela primeira vez não elegeu nenhum prefeito nas capitais –, mas também dos candidatos apoiados por Jair Bolsonaro. A derrota mais contundente foi no Rio de Janeiro, onde Marcelo Crivella (Republicanos) perdeu para Eduardo Paes (DEM).

Dos sete candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro nas capitais, apenas um se elegeu: foi Tião Bocalom (PP) que derrotou, com folga, Socorro Neri (PSB), em Rio Branco. Os bolsonaristas decepcionaram em Fortaleza e Belém neste domingo (29).

No primeiro turno, outros candidatos apoiados pelo presidente amargaram mau desempenhos: Celso Russomanno (Republicanos), em São Paulo, e Bruno Engler, em Belo Horizonte.

Ao longo da campanha, Bolsonaro sinalizou apoio a diversos candidatos durante suas lives semanais que, conforme ele mesmo afirmou, se tornaram uma espécie de horário eleitoral gratuito para seus apadrinhados. O envolvimento do presidente não foi suficiente. Partidos de centro foram os grandes vencedores destas eleições.

No Rio, Crivella teve quase 36% dos votos válidos e perdeu para Eduardo Paes (DEM), que obteve 64% das preferências. Após a derrota, o bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus agradeceu Bolsonaro. "O presidente é um homem de convicções. Ele nos apoiou, esteve ao nosso lado, deu declarações. Ele contrariou a maré por suas convicções", disse Crivella, acrescentando que vai batalhar pela reeleição do presidente.

O engajamento de Bolsonaro, porém, não foi dos mais comprometidos: em outubro, quando declarou voto no candidato, ele afirmou que sabia que o Crivella era "polêmico". Na última sexta-feira (27), com as pesquisas apontando uma vitória folgada de Paes, o presidente recuou e tentou se descolar do candidato. "Votem em quem quiserem", afirmou sobre as eleições cariocas.

Em Belém, o delegado Everaldo Eguchi (Patriota), alinhado a Bolsonaro, também não se elegeu. Ele foi derrotado por Edmilson Rodrigues, do Psol, por uma margem apertada: 48% contra 52%. Eguchi não se apresentou oficialmente como candidato bolsonarista, mas, ao longo da campanha, disse várias vezes que compartilhava das mesmas ideias do presidente.

Em Rio Branco, onde Tião Bocalom (PP) obteve 63% dos votos válidos, a situação foi diferente. No primeiro turno, Bolsonaro ignorou a candidatura e não pediu votos para o candidato. Porém, no segundo turno, o presidente, vislumbrando uma possível vitória, gravou vídeo em apoio: “Olá prezado Bocalom, nesse segundo turno ‘tamo junto’. Boa sorte”, disse o presidente.

Bocalom se filiou ao PP neste ano, exatamente para a disputa municipal. Na onda do bolsonarismo, em 2018 ele estava no PSL, partido de Bolsonaro na ocasião, e tentou uma vaga de deputado federal, mas não se elegeu.

O deputado federal Capitão Wagner (Pros), candidato à prefeitura de Fortaleza, foi um dos poucos candidatos que receberam explicitamente o apoio de Jair Bolsonaro. Neste domingo (29), numa disputa acirrada, ele obteve 48% dos votos válidos e perdeu para Sarto (PDT), que teve 52% das preferências.

Além das lives semanais, o presidente também usou uma publicação no Facebook na véspera do primeiro turno para pedir votos ao Capitão Wagner. No dia da eleição, 15 de novembro, Bolsonaro decidiu apagar a postagem. Naquele dia, o candidato foi o mais votado, com 31% dos votos válidos, e foi para o 2º turno contra o candidato apoiado por Ciro Gomes (PDT).

Na reta final da campanha, porém, Capitão Wagner tentou se desvincular da imagem de Bolsonaro. “Não tenho políticos tradicionais ao meu lado, não tenho padrinhos políticos, e me orgulho disso, viu?”, escreveu o candidato numa rede social.

Para completar o cenário, outros candidatos que gozavam da simpatia do presidente não superaram o primeiro turno – Coronel Menezes (Patriota), em Manaus, e a candidata do Podemos, Patrícia, à prefeitura de Recife.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • V

    VICTOR HUGO RAMAO FERNANDES

    ± 13 horas

    Bolsonaro perdeu muito menos do que parece. Como cabo eleitoral foi tão preguiçoso quanto o desempenho de bolsonaristas. Parece que vivem exclusivamente para Brasília. Entretanto, PP, Republicanos e PSD que, cada vez mais, formam uma base de governo com JB, foram muito bem sucedidos. Tudo gira em torno de quem quer comprar Bolsonaro. O PP no fundo quer, mas tem vergonha. O Republicanos quer, mas é mais fraco. O PSL não quer, mas também não tem tanta escolha... Enfim, se Bolsonaro for para o PP ou para o Republicanos vai ter muita prefeitura para tergiversar em nome dele.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • E

      Emerson

      ± 13 horas

      Sem dúvida é o intensivão preparatório para 2022 pois do jeito que as coisas estão muito em breve teremos de jogar a toalha sobre mitológicos governos. É sentar esperar e comemorar!!!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • W

        Walter

        ± 14 horas

        A esquerda perdeu feio, isso que importa... Quanto aos que foram eleitos, se quisermos melhores, devemos escolher melhor!

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • A

          Alexandre Paranaense

          ± 14 horas

          Moro 2022

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • O

            Osvaldo

            ± 14 horas

            A esquerda não vai a lugar nenhum nos próximos anos nem com a ajuda da mídia ...e o centrão que está alegre se não aprovar as reformas em 21 em 22 o mito se reelege fácil ...

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • K

              Klin

              ± 16 horas

              7 x 1 - Mais uma derrota do Bozo!. O Resultado é mera coincidência.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              Fim dos comentários.