| Dhavid Normando - Futura Press
| Foto: Dhavid Normando - Futura Press

FICHA TÉCNICA: Confira o lance a lance da partida

Um pênalti inexistente, expulsão de dois jogadores(Chico e Eli Sabiá) e mais o nervosismo foram os itens determinantes na derrota do Atlético por 3 a 1 diante do Vasco, em São Januário, no Rio de Janeiro, na noite deste sábado (17). Foi a quinta derrota fora de casa neste Brasileiro. O resultado manteve o Furacão na zona de rebaixamento da Série A do Brasileiro. O Vasco, nem mesmo vencendo, conseguiu deixar a ZR, mas ultrapassou o Furacão na tabela.

Confira a classificação do Brasileirão!

Infelizmente para atleticanos e vascaínos, o jogo em São Januário foi o reflexo da posição dos dois times na tabela – 17º e 18º lugares antes da bola rolar. Muitas faltas desnecessárias(não que falta seja necessária no futebol), lances feios, pouca técnica e uma arbitragem fraca do pernambucano Nielson Nogueira Dias . Diante desse quadro, o Vasco se deu melhor no primeiro tempo.

O time carioca arrumou o gol aos 19 minutos. Falha da defesa atleticana, Jonathan pegou a bola, arrumou e acertou um chute da entrada da área. O goleiro Neto ainda contribui indo mal na bola. O gol desestabilizou o Furacão.

Na sequência, o árbitro viu pênalti inexistente de Eli Sabiá e advertiu o jogador do Atlético com o amarelo. Lance seguinte, Chico entrou forte na dividida com o adversário e nem tomou amarelo. Foi vermelho direto. Ao sair do gramado, o zagueiro balançava a cabeça indicado que tinha ido apenas na bola.

A expulsão fez Eli Sabiá perder a cabeça por uma falta marcada. O jogador reclamou com o juiz e recebeu novo amarelo e foi expulso corretamente de campo. O Rubro-Negro ficou com nove em campo aos 35’ do primeiro tempo.

"Temos de ter o lado profissional. Nós não podemos ter garatinhos no time. Eu deixei a diretoria à vontade e ela (diretoria) deve tomar uma posição", disse o técnico do Atlético Paulo César Carpegiani ao comentar a expulsão boba de Eli Sabiá.

Mesmo assim, com dois a mais, o Vasco não chegava. O Atlético arrumou o primeiro gol em uma falha bisonha de Nilton. O zagueiro vascaíno furou feio na cobrança de escanteio de Paulinho e Bruno Mineiro aproveitou para diminuir o placar.

No segundo tempo, o jogo despencou de produção. Nos poucos lances de perigo, o goleiro Neto de redimiu da falha do primeiro tempo com grandes defesas. O técnico Paulo César Carpegiani fez todas mudanças possíveis. Nada resolveu. Prova do desespero foi que Maikon Leite, jogou apenas 20 minutos e foi substituído por Bruno Costa. Do lado do Vasco, o técnico PC Gusmão reforçou a defesa, mesmo com dois a mais em campo.

Leo Gago, o mesmo que já defendeu as cores do Paraná, quis atacar. Ele acertou um belo chute fora da área e fechou o placar. "Temos de falar um pouco e resolver lá dentro do campo", avisa o atacante Bruno Mineiro derrota. O Atlético terá uma parada indigesta na próxima quarta-feira, às 21h50, na Arena: o Santos de Neymar, Ganso e companhia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]