Lateral-esquerdo Sidcley foi vendido por R$ 13 milhões. | Daniel Caron/Gazeta do Povo
Lateral-esquerdo Sidcley foi vendido por R$ 13 milhões.| Foto: Daniel Caron/Gazeta do Povo

O balanço financeiro do Athletico revelou o alto valor de despesas com a transferência de atletas na última temporada. Os gastos foram de R$ 32 milhões em valores arredondados. Este montante consome 73% dos R$ 43 milhões que o Furacão ganhou com a venda de jogadores.

Portanto, o Athletico teve de receita líquida R$ 11 milhões com transações de atletas. O valor é o mais baixo dos últimos anos. Em 2018 e 2017, o clube lucrou R$ 20 milhões. O ápice foi em 2015, quando R$ 37 milhões entraram nos cofres do clube.

Leia também: Dívida da Arena da Baixada já está perto de meio bilhão

O Athletico não detalha no balanço o destino dos R$ 32 milhões de gastos com transferências. Não é possível saber qual é a quantia com comissões para agentes, porcentagens de outros clubes sobre as transações, gastos com a compra de atletas e custos operacionais dos trâmites burocráticos.

Em sua conta no Facebook, o presidente do conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia, afirma que nesta conta estão “debitados todos os valores de custos de empréstimos, compra de novos atletas, reembolso de salários a clubes, comissões de agentes e percentual do compartilhamento dos direitos econômicos”.

Mesmo assim, estes valores não aparecem detalhados no balanço obrigatório. “É um gasto alto, que representa boa parte do que o clube arrecadou. Não é normal registrar desta forma. Não é possível saber, por exemplo, se neste valor estão misturados gastos normais das transações com a compra de atletas”, explica Amir Somoggi, consultor em marketing esportivo.

O Athletico não realizou contratações caras no ano passado. A maior parte dos reforços veio sem custos (final de contrato) ou por empréstimo.

Por outro lado, o clube conseguiu realizar vendas importantes, mas o valor acabou sendo dissipado pelos custos elevados. As maiores transações foram a do atacante Ribamar (Pyramids-EGI), Marcos Guilherme (Al-Wehda-ARA), Thiago Carleto (Al-Ittihad-ARA) e Sidcley (Dínamo de Kiev-UCR). Já a venda de Pablo ao São Paulo (R$ 26 milhões) será contada apenas em 2019.

A única descrição que aparece no balanço oficial é de Sidcley. Segundo o extrato financeiro, o Furacão arrecadou R$ 13 milhões com o lateral-esquerdo, valor que está incluso nos R$ 43 milhões do total de vendas.

***

Notícias do Athletico

Você pode receber mensagens instantâneas, via WhatsApp, para ficar bem informado sobre tudo o que vai acontecer na Libertadores, Brasileirão, Recopa, Copa Suruga, Copa do Brasil e até alguns dos piores momentos dos rivais – assim como vídeos e fotos exclusivas de jogos e treinos. Para receber diariamente as principais notícias, resultados e classificação, basta seguir os passos abaixo. É muito simples. Junte-se a nós na lista de transmissão de notícias do Furacão. Seja bem-vindo ao nosso grupo!

24 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]