Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O técnico Antônio Lopes deu entrevista na volta a Curitiba
O técnico Antônio Lopes deu entrevista na volta a Curitiba| Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo

A primeira final de Copa Libertadores entre equipes do mesmo país completa 15 anos. Em 2005, Athletico e São Paulo protagonizaram uma decisão verdadeiramente à brasileira – repleta de polêmica nos bastidores.

Após dois jogos, disputados no Beira-Rio e no Morumbi, o Tricolor levou a melhor e faturou seu terceiro título. Na primeira parte do duelo, deslocado para Porto Alegre por decisão da Conmebol, empate por 1 a 1 em uma gelada noite de 6 de julho.

Na volta, em 14 de julho, o Furacão desperdiçou o pênalti que empataria o jogo na ida para o intervalo. O baque foi grande e o time não resistiu à pressão do Tricolor, que fez 4 a 0 com facilidade e acabou com o sonho atleticano de conquistar a América.

Em fotos exclusivas do arquivo GRPCOM, relembre a rotina do duelo, do dia 3 ao 14, com tudo que aconteceu na grande finalíssima, a primeira de uma equipe paranaense na Libertadores.

Veja os capítulos anteriores do diário: 3 de julho, 4 de julho, 5 de julho, 6 de julho.

Diário da Decisão

7/7
Pensar no futuro

Com um frustrante 1 a 1 na bagagem, o Athletico voltou de Porto Alegre já na quinta-feira. Como os primeiros 90 minutos da decisão com o São Paulo terminaram empatados, o confronto ainda estava totalmente aberto para a volta no Morumbi.

Alguns torcedores foram ao aeroporto dar força ao jogadores. O goleiro Diego tirou fotos e o atacante Lima também foi tietado.

Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo| GAZETA
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo| GAZETA

O técnico Antônio Lopes e o lateral-esquerdo Marcão atenderam os jornalistas. Nas respostas, a necessidade da mudança de foco. A Libertadores ficaria momentaneamente de lado, já que no domingo o Furacão enfrentaria o rival Coritiba pelo Brasileirão.

E, apesar de estar decidindo uma competição continental, o Rubro-Negro ainda não tinha vencido na Série A. Após dez partidas, era o lanterna, com apenas três pontos conquistados. Situação que precisaria mudar.

Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo| Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo| GAZETA

Siga o diário da final!

Especial: O ano em que o Athletico descobriu a América; clique!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]