O Atlético é o maior exportador de atletas entre os clubes paranaenses. De 2002 até hoje, o Rubro-Negro mandou para o exterior 83 jogadores, número equivalente a 17% dos 467 profissionais destinados ao mercado internacional. A marca supera com folga até mesmo a soma de negócios feitos pelos seus rivais da capital. O Coritiba negociou 40 atletas e o Paraná, 29.

Dois clubes ganham destaque no cenário local. A quantidade de transferências feitas por Iraty e Matsubara gera mais impacto pelo fato de ambos não disporem da vitrine garantida por competições nacionais. O calendário é restrito, as fronteiras, não.

Em Cambará fica o vice-líder das transferência. O Matsubara contabiliza 59 exportações, a maioria delas decorrente da conexão Vietnã. A parceria começou com um amistoso em 2004. O time titular nem voltou e ao todo já são 39 jogadores negociados.

O clube dirigido por Sérigo Malucelli em Irati, na região dos Campos Gerais, é outro forte exportador. Ajudou a carimbar o passaporte de 29 jogadores deste 2002. Hoje, ampliou suas instalações e conta com cerca de 100 atletas aguardando oportunidades no mercado.

Equipes como Portuguesa, J. Malucelli, o antigo Grêmio Maringá e outros pouco conhecidos como Sport Club Paranaense e Saltense contribuem com as negociações que já movimentaram 47 clubes no estado, com destino a 76 países. Os dados constam no relatório de transferências internacionais de Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]