Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O sonho de terminar com o jejum do basquete masculino do Brasil, ausente nas duas últimas Olimpíadas, foi por água abaixo no Pré-Olímpico de Las Vegas. A seleção brasileira encerrou sua participação na quarta colocação, mas ao menos está apta a disputar com outras 11 seleções (Canadá, Porto Rico, Camarões, Cabo Verde, Líbano, Coréia, Nova Zelândia e mais quatro da Europa) três vagas no Pré-Olímpico Mundial, a ser disputado em julho de 2008, às vésperas dos Jogos de Pequim.

Os jogadores brasileiros não esconderam o abatimento da equipe com a derrota para a Argentina no sábado, que tirou a chance da vaga olímpica antecipada. Mas se agarram à última esperança do Brasil não ver as terceiras Olímpiadas seguidas pela televisão.

- Temos que começar a pensar desde agora no Pré-Olímpico Mundial. O Brasil tem todas as condições de estar nas Olimpíadas porque o nosso grupo é forte e talentoso. É claro que o objetivo era conseguir a vaga aqui. Não foi possível porque perdemos o jogo semifinal contra a Argentina. Ficamos tristes e levamos uma lição para o futuro. A equipe continua mais unida do que nunca - explica o ala Alex Garcia em comunicado da assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Basquete (CBB).

Marcelinho Machado, cestinha contra Porto Rico com 21 pontos, nega que o Brasil não tenha dado importância à disputa do terceiro lugar:

- O Brasil lutou até o último segundo da partida para conseguir a vitória e a medalha de bronze. Tenho certeza que cada um de nós deu o melhor de si em todas as partidas para tentar classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos. Agora temos que pensar no Pré-Olímpico Mundial e trabalhar para conquistar uma das três vagas para Pequim - garante.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]