i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tênis

Brasileira de 15 anos perde o primeiro jogo contra a Venezuela pela Fed Cup

Beatriz Haddad Maia foi derrotada por Gabriela Paz. Vivian Segnini precisa vencer Adriana Pérez para manter a equipe viva no confronto em Curitiba

  • PorGazeta do Povo
  • 01/02/2012 10:09

Após a derrota para o Paraguai no confronto de terça-feira – por duas partidas a uma –, o capitão da equipe brasileira que disputa a Fed Cup, Eduardo Frick, optou pela escalação da jovem Beatriz Haddad Maia, de apenas 15 anos, para enfrentar a venezuelana Gabriela Paz na primeira partida desta quarta-feira (1.º). Mas ela acabou derrotada por 2 sets a 0 (parciais de 7/6 e 6/2) na quadra do Graciosa Country Club, em Curitiba, sede do Zonal Americano da competição.

Beatriz substituiu Roxane Vaisemberg, que no dia anterior perdeu seu jogo de simples e o de duplas - ao lado de Ana Clara Duarte. A única vitória nacional foi conquistada por Vivian Segnini.

Chamou atenção a altura da jovem brasileira: 1,84 m. Mas a envergadura não compensou a falta de experiência. "Os detalhes pesaram muito. Tenho de melhorar bastante. Não só aqui [com a equipe], mas no individual também. Estou começando uma carreira", disse a tenista, após alguns minutos de conversa com Frick assim que a partida terminou.

Elogiada no país, Beatriz sabe que isso pouco conta para ter sucesso internacional. "Por mais que as pessoas achem que eu esteja bem no Brasil, lá fora estou igual muitas, ou pior", admitiu a jogadora número 683 do ranking mundial, 13.ª brasileira a aparecer na lista – a primeira é Roxane Vaisemberg (298ª). A prova foi a derrota para Gabriela Paz, número 531 do mundo, quarta da Venezuela.

Na segunda partida do dia, Vivian Segnini (301.ª do mundo, segunda do país) enfrenta Adriana Pérez (363.ª do mundo, primeira da Venezuela). A brasileira precisa vencer para levar o a decisão do confronto para o jogo de duplas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.