Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Claiton domina  a bola no confronto com o Goiás, seu reencontro com a Baixada | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Claiton domina a bola no confronto com o Goiás, seu reencontro com a Baixada| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo
  • Confira a ficha técnica do jogo

Um ano e três meses depois de re­­tornar ao Atlético, enfim, no sábado, Claiton pode reencontrar o torcedor rubro-negro vestindo a camisa do Furacão. E não podia ser me­­lhor. Contra o Goiás, na Arena, com três minutos em campo, recebeu uma bola difícil na lateral da área, mas conseguiu cruzar para o gol que garantiu a vitória por 2 a 1 e deixou o time ainda sonhando com a Libertadores.

"É muita alegria. No momento em que o professor me chamou, passou um filme na minha cabeça. Era muita expectativa, eu vinha a todos os jogos. Ficava na tribuna. E agora ainda pude fazer o passe para o gol. Mas a alegria mesmo é pela vitória e por voltar à Arena", afirmou o volante, que já tinha estreado no Brasileiro na Vila Belmiro, contra o Santos, na rodada anterior.

O jogador que foi ídolo do clube em 2007 e começo de 2008, não havia tido sorte semelhante em seu retorno, em julho de 2009. Após uma semana de treinos, rompeu o tendão de Aquíles. No fim do mesmo ano, teve de fazer outra operação no local."Agora, já vinha treinando há bastante tempo. Mas não tinha tido oportunidade com Carpegiani. O time vinha bem e fiquei aguardando", conta, esperando mais chances para recuperar o ritmo de jogo. "Não sei [se aguenta 90 minutos]. Estou treinando há um bom tempo, jogo amistosos. Mas é óbvio que ritmo de jogo falta, não sou super-herói."

O técnico Sérgio Soares já adiantou que Claiton continuará entrando no decorrer das partidas. Con­­tudo, para o importante jogo contra o Fluminense, na Arena, a preocupação é outra.

"É um time que tem vários jogadores qualificados. Será um jogo mais dificil e temos de nos preparar melhor. Principalmente para de­­pois dos 25 minutos. Se deixarmos o Fluminense [nesse período] com a bola, como fizemos hoje, vai ficar mais complicado", alertou o técnico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]