Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

E não veio o presente de aniversário. A comemoração dos 107 anos do Coritiba ficou mesmo no concorrido jantar da segunda-feira, em Santa Felicidade. Ontem, em campo, nada aconteceu além de um entediante 0 a 0, sem qualquer possibilidade real de gol por parte dos donos da casa.

Bem que a torcida coxa quis passar a responsabilidade ao árbitro, mas no lance quase final da partida, no qual Iago chutou para o gol vazio, houve falta de Leandro em Fernandez. O que houve, mesmo, foi incompetência nas conclusões, exigindo poucas intervenções do goleiro do Figueirense.

E o magro ponto conquistado serviu pelo menos para o Coritiba conquistar uma posição, na torcida para o Cruzeiro perder hoje para o Palmeiras. Mas, pensando no pior, precisa também torcer contra Vitória e São Paulo, que hoje têm chance de ultrapassá-lo na classificação.

Para não fugir a regra, garantindo 100% de ocorrências a cada partida, com o registro de goleiro pedindo assistência médica quando o time pode tirar proveito do resultado, ontem Fernandez parou o jogo duas vezes, contribuindo para a quebra da harmonia da partida em seu andamento.

O Coritiba ficou devendo, pois teve amplo domínio de jogo, mas não conseguiu criar chances efetivas de finalização. Como o Figueirense não ameaçou, placar em branco, que não interessou a nenhum dos contendores.

Sem ataque

Hoje será a vez do Atlético. O discurso entre os rubro-negros é de esperança e o exemplo que tem sido exposto a todo instante é o da vitória de dias atrás, contra o mesmo Grêmio, pela Copa do Brasil.

Sim, o Atlético ganhou aquela partida – com o gol de André Lima – e só foi desclassificado por conta da total incompetência de seus jogadores nas cobranças de pênaltis. Mas no campo, no jogo jogado, na bola rolando, deu Atlético na Arena do Grêmio.

Há esperança, portanto. Pelo menos entre o grupo profissional. Embora as circunstâncias para esta noite não sejam mais as mesmas, pois o Grêmio, que vivia em crise naqueles dias, deu uma encorpada e começa a sonhar mais alto. E o Atlético não é o mesmo daquele dia, pois perdeu o poder de fogo com a lesão de André Lima e a falta de outro avante para a função. Pablo vem sendo improvisado, mas não é a solução e compromete o setor de criação, onde ele vinha se dando muito bem.

A partida funciona como um confronto direto entre duas equipes que disputam posição na nova conformação dos classificáveis à Libertadores. O Atlético tem dois pontos de vantagem. Por isso, um empate hoje, fora de casa, não pode ser desprezado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]