Depois da derrota do Pa­­ra­­ná Clube para o Ba­­hia, 1 a 0 na Vila Capanema, na última sexta-feira, o goleiro Juninho tirou as luvas e soltou a língua. Reclamou falta de apoio da diretoria. A reprimenda teve alvo genérico, mas atingiu em cheio o presidente Aquilino Romani, que não teria sequer ido ao jogo contra os baianos.

Aquilino disse que foi ao jogo, sim. Teria assistido a derrota de um camarote. E completou dizendo que ir ao vestiário prosear com os atletas não faz o time ganhar jogo. Pode não fazer ganhar jogo, mas seria simpático levar uma palavrinha de otimismo aos jogadores: "Olha, o pagamento sai no próximo dia 15, ok?".

Contra os baianos a matemática ainda alimentava um fiapo de esperança ao Tricolor da Vila. Tal­­vez daí o rancor de Juninho. Uma conta difícil na qual, para o acesso, o time teria de vencer todos os jogos restantes, incluindo o jogo com os baianos.

Terminaria a Série B com 64 pontos – um a menos que os 65 estimados por Tristão Garcia, versado neste tipo de cálculo. Porém, com 64 pontos, teria ainda boas chances de subir.

Com ou sem Aquilino prestigiando o escrete na Vila, só resta agora fazer mais três pontinhos para livrar a cara de vez de uma horrorosa Terceirona – com seis jogos para isso, a tarefa é moleza, mas, por precaução, toc! toc! toc!

Bem, após o queixume de Juninho, Aquilino convocou seus pares para um papo reto e afinar o tom das palavras e atitudes na Vila Capanema. Em pleno domingo que elegeu Dilma primeira "presidenta" do país, Aquilino e seu séquito acompanharam – das arquibancadas – o treino comandado por Cavalo, visando ao jogo de hoje contra o G4 América Mineiro.

Juninho, após o treino, mesmo com a diretoria por ali, voltou aos microfones afirmando, ainda genericamente, que "os caras dizem que comparecem, mas não comparecem". O arqueiro teria ainda pedido que cumprissem o que prometem.

Diante disso, melhor Aquilino abrir mão do camarote e assistir ao jogo contra os mineiros das arquibancadas, de preferência junto à turma do amendoim, empunhando bandeira e gritando a todo pulmão. E depois descer aos vestiários.

Isso constituiria prova inquestionável de apoio para acalentar os prantos do camisa 1, prioridade na lista de renovações.

Na rodada completa de hoje da Segundona, o jogo que ganhará mais atenção, por óbvio, será Ba­­hia x Coxa. O líder Coritiba leva em campo seus 60 pontos, contra 58 do vice-líder Bahia. Os baianos, claro, pretendem aborrecer mais um paranaense. Para isso já venderam todos os ingressos. Se a torcida alviderde não anda fazendo muita questão à segunda estrela prata, e sim apenas o acesso, esta será uma boa oportunidade.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]