|
| Foto:

Chamem o Pelé! Ainda dá tempo! Não, não estou delirando com ansiedade pré-Mundial e imaginando o septuagenário Rei do Futebol defendendo a Seleção. Sugiro que chamem o Pelé para que ele retome uma atividade que ensaiou em 1982: football designer. É isso mesmo: muito antes de designer virar palavra da moda, o Pelé foi football designer do diretor John Houston em Fuga para a Vitória, aquele filme que consegue ser ruim e ótimo ao mesmo tempo. Lá nos créditos finais, descobre-se que foi Pelé quem criou as jogadas que Hous­­ton filmou com a elegância de quem mostra um balé ou uma batalha campal. A mais bonita delas é o gol de bicicleta com que Pelé ajuda a equipe dos aliados a vencer a partida contra a seleção da Alemanha nazista.

Será que o brasileiro foi espertinho e reservou o lance mais bonito para si próprio? Ou apenas ele conseguia dar aquele chute no ar e cair no gramado sem se arrebentar, já que todos os homens que estão no filme eram jogadores aposentados? Só ele poderia nos explicar. O argentino Ardiles e o inglês Bob Moore – ops, desculpe, sir Bob Moore, capitão da Inglaterra em 1966 – não conseguiriam?

Aliás, a presença desses dois faz parte de um dos trunfos do filme: Houston juntou jogadores de vários países para representar os aliados, provavelmente com a intenção de representar o que há de mais maravilhoso no futebol, que é sua universalidade. Ler os créditos finais faz a gente gostar mais do filme e do esporte. Estão lá pelo menos umas dez nacionalidades e alguns dos atores mais canastrões e simpáticos do cinema: Michael Caine, Sylvester Stallone e, bom... Posso chamar Edson Arantes do Nascimento de ator? Convenhamos que ele é ótimo no papel de Rei do Futebol.

Se foi o Pelé mesmo que criou as jogadas de Fuga para a Vitória, ele precisa ser convocado para dar uns toques de beleza ao futebol que mostraremos na África do Sul. Já ouvi torcedores mais puristas dizerem que não acham graça em ganhar Copa sem lances bonitos. E que lances bonitos andam mais raros nos Mundiais que alteração nas expressões faciais do Sylvester Stallone. Para esses torcedores há duas alternativas: rever Fuga para a Vitória ou chamar o Pelé para ser nosso football designer.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]