Salvador Cabañas sobreviveu milagrosamente ao tiro que levou na cabeça, em janeiro deste ano, após uma discussão em um bar do México. Mas a bala que o atingiu ainda dói na seleção paraguaia, de acordo com o técnico dos Guaranis, Gerardo Martino.

"A ausência dele continua sendo muito importante, mesmo quando o time joga bem. Não foi fácil chegar aonde estamos. Quando aconteceu o pior, sem conseguir pensar em como substituí-lo, nós consideramos que atacantes poderiam estar preparados para o Mundial", disse ao jornal 'Popular'.

Cabañas seria o companheiro natural de Roque Santa Cruz no ataque paraguaio. Mas para sorte do argentino Martino, surgiu um compatriota naturalizado paraguaio.

"Sorte que temos outra alternativas. Lucas Barrios apareceu, embora sua maneira de jogar seja muito diferente da de Cabañas".

Por fim, o treinador considera que o Paraguai está pronto para estrear na Copa diante da Itália, dia 14, às 15h30, na Cidade do Cabo. "Acho que estamos chegando em boa forma. Os jogadores disputaram quatro amistosos. Eu acredito que estamos prontos para começar a competição".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]