Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Felipão lamenta o triste fim da seleção na Copa | Reuters
Felipão lamenta o triste fim da seleção na Copa| Foto: Reuters
  • Holandeses comemoram o terceiro lugar diante dos brasileiros
  • Robben e De Vrij com a medalha de terceiro lugar
  • Jogadores deixam o campo lamentando a derrota para a Holanda
  • Blind comemora o segundo gol holandês em frente a um desolado Maicon
  • Neymar se recupera da fratura na terceira vértebra da coluna lombar, que sofreu durante a Copa
  • Júlio Cesar também tem o recorde negativo de gols levados na mesma edição
  • Thiago Silva, Willian e David Luiz lamentam a derrota para a Holanda
  • Torcedores protestam contra o mau desempenho brasileiro na Copa do Mundo
  • Oscar recebe marcação de De Vrij
  • Torcedora brasileira acompanha a partida no Mané Garrincha
  • Felipão e Maicon sinalizam em direções opostas
  • Neymar foi ao Mané Garrincha acompanhar a partida do banco de reservas
  • Robben cai dentro da área após sofrer falta fora dela. O árbitro marcou pênalti
  • Julio Cesar não alcança a cobrança de Van Persie no primeiro gol da Holanda
  • Jogadores holandeses comemoram o primeiro gol da equipe, marcado por Van Persie
  • Neymar recebe assédio dos fotógrafos no banco de reservas brasileiro
  • Jô não alcança cruzamento na área
  • Felipão observa o gramado a partir da área técnica: Brasil tomou dois gols nos primeiros 16 minutos
  • Blind comemora o segundo gol da Holanda sobre o Brasil
  • Após trocarem farpas durante toda a Copa, Felipão e Van Gaal se abraçaram antes da partida
  • Jô disputa bola no alto com De Wrij
  • Robben recebe cartão amarelo. Jogo teve faltas mais duras do que vinha acontecendo no Mundial
  • David Luiz cai ao chão após perder jogada no meio de campo
  • Maicon arranca jogada sobre Blind

O jogo valia apenas o terceiro lugar da Copa, mas a vitória da Holanda por 3 a 0 sobre o Brasil neste sábado (12), no Estádio Nacional, em Brasília, tornou ainda mais melancólica a despedida brasileira do Mundial. Dois dos gols da vitória da Laranja Mecânica foram marcados ainda na primeira etapa, por Van Persie — cobrando pênalti sofrido por Robben logo aos dois minutos de jogo — e Blind, que aproveitou falha de David Luiz, ainda aos 17. No fim do segundo tempo, aos 45, Wijnaldum aumentou para os holandeses.

O arrasador início holandês fez com que pairasse por sobre o Estádio Nacional o fantasma dos sete gols sofridos na semifinal, contra a Alemanha. Nem mesmo as seis alterações realizadas por Felipão no time titular surtiram efeito. No final, o que se viu foi uma partida sem maiores chances para ambos os lados e que terminou com vaias vindas das arquibancadas.

Este foi o quinto jogo entre Brasil e Holanda na história das Copas, o primeiro que não levou nenhuma das duas seleções à final do torneio — nas outras quatro ocasiões, em 74, 94, 98 e 2010, quem passou foi para a decisão.

A partida ainda garantiu uma série de marcas negativas para a seleção comandada por Felipão: o gol de Van Persie foi o centésimo sofrido pelo Brasil em Copas; a equipe levou o maior número de gols em um Mundial desde 1938; terminou a competição com saldo de gols negativo, feito que não acontecia desde 1966; e viu o goleiro Júlio César, com 17 gols levados, se tornar o goleiro brasileiro que mais gols levou na história da competição.

Esta foi também a segunda vez que o Brasil perdeu a disputa do terceiro lugar. A outra havia sido em 1974, quando a seleção foi derrotada para a Polônia por 1 a 0,na então Alemanha Ocidental. Já os holandeses, que conquistaram pela primeira vez a medalha de bronze como título de consolação ainda alcançaram o feito inédito de terminar uma Copa de forma invicta.

A decepcionante campanha brasileira no torneio em que foi o país anfitrião enche de dúvidas o futuro do time, enquanto a Holanda tem bem definida a sequência de sua seleção: Louis van Gaal irá treinar o Manchester United e, em seu lugar, assume Guus Hidink, que ficará no comando da Laranja até o final da Euro 2016. Após a disputa, assume Danny Blind (pai do lateral Daley Blind), que foi auxiliar de Van Gaal neste Mundial e comandará a equipe na Copa 2018, na Rússia.

A grande decisão do torneio acontece no próximo domingo (13). Alemanha e Argentina se enfrentam no Estádio do Maracanã e decidem quem dará a volta olímpica.

O jogo

Após o vexame frente à Alemanha nas semifinais, quando viu sua equipe perder de 7 a 1, o treinador brasileiro Luiz Felipe Scolari realizou seis mudanças na equipe que enfrentou a Holanda, na disputa pelo terceiro lugar da competição.

Na defesa, Maxwell, único jogador de linha que ainda não havia entrado em campo, ganhou a vaga de Marcelo na lateral esquerda. Thiago Silva, retornando de suspensão, ficou com a vaga de Dante. Paulinho e Ramires ganharam as posições de Fernandinho e Hulk, enquanto Jô atuou como centroavante, deixando Fred no banco.

Pelo lado holandês, o treinador Louis van Gaal havia planejado apenas uma mudança em seu onze inicial: a entrada de Clasie na vaga de De Jong, que já havia jogado no sacrifício na semifinal contra a Argentina. No entanto, ainda no aquecimento pré-jogo, o camisa 10 do time, Sneijder — carrasco do Brasil na copa de 2010, na África do Sul — sentiu uma lesão na coxa e deu lugar a De Guzman.

Apesar de todas as modificações, o que se viu em campo foi um início terrível para a seleção brasileira. Com um minuto de jogo, Robben recebeu em velocidade e foi puxado por Thiago Silva fora da área, mas o árbitro, erroneamente, marcou o pênalti. Aos dois minutos, Van Persie converteu a cobrança com perfeição e abriu o placar para a Holanda.

O Brasil tentava reagir e apostava em cruzamentos na área para Jô. Mas, logo aos 17 minutos, David Luiz cortou de forma péssima cruzamento que veio da direita e entregou a bola limpa para Blind no meio da área que, sem nenhuma marcação, dominou e mandou para o fundo das redes, fazendo dois a zero.

No intervalo, Fernandinho entrou na vaga de Luiz Gustavo. A Holanda voltou a mesma. Na sequência, Hernanes e Hulk ainda substituíram Paulinho e Ramires, mas o nível técnico da seleção seguiu baixo e o time ainda viu a Holanda ampliar com Wijnaldum, aos 45 da segunda etapa.

Brasil 0 x 3 Holanda

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]