Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Após defender dois pênaltis e converter um, goleiro Wilson comemora a classificação à final do primeiro turno do Paranaense. | Paulo Lisboa/Gazeta do Povo
Após defender dois pênaltis e converter um, goleiro Wilson comemora a classificação à final do primeiro turno do Paranaense.| Foto: Paulo Lisboa/Gazeta do Povo

Mais uma vez, o goleiro Wilson salvou o Coritiba, que garantiu domingo (17) a classificação á final do primeiro turno do Paranaense após empatar em 0 a 0 com o FC Cascavel e vencer por 5 a 3 na decisão por pênaltis. Desta vez, foram duas defesas de pênalti: uma no tempo normal e outra na decisão por penalidades, quando também converteu uma cobrança.

“É um grupo vencedor, sabemos da responsabilidade que tem. Tem muita desconfiança ainda, mas o futebol é complicado. Eu vejo um grupo mais preparado, melhor formado, com mais perspectivas para chegar lá na frente e conseguir nosso maior objetivo”,destacou o goleiro, elogiando os companheiros. “Fomos eficientes, conseguimos fazer todos os pênaltis. Fico feliz. Mantenho sempre meu trabalho para contribuir e corresponder a confiança que todos têm em mim”

Roteiro tão conhecido que já era até previsto pelo próprio elenco. Na pior das hipóteses, se a equipe não tomasse gol e o jogo fosse decidido na marca da cal, o camisa 84 estaria lá, imaginou o auxiliar técnico Matheus Costa.

“Foi comentado antes do jogo, no vestiário. Ele é um goleiro que é referência dentro do clube. Tem uma imagem forte, mérito todo dele por tudo que vem conquistando. E coloca uma pressão, com a imagem e a força que tem, numa disputa como essa”, disse o auxiliar da comissão técnica fixa, que comandou o time neste domingo (17), após a derrota do treinador Argel Fucks.

>> TABELA PARANAENSE 2019: confira a classificação, resultados e próximos jogos

Após a demissão de Argel na eliminação na Copa do Brasil na última quinta-feira (14), para o modesto URT-MG, coube a Costa a responsabilidade de dirigir o time na semifinal do Estadual.

O desempenho ficou muito aquém do desejado, principalmente porque o Coritiba não conseguiu ficar com a bola. A justificativa foi o cansaço. “Adotamos uma estratégia mais cautelosa, de aguardar o adversário. Se fossemos pressionar o tempo todo não iríamos aguentar”, comentou o auxiliar, que não ainda não sabe qual será seu destino: comandar a equipe na final com o Toledo, no próximo domingo (24) ou voltar à função anterior, ajudando o novo técnico. A diretoria está conversando com Thiago Larghi, ex-Atlético-MG.

“Não pensei nisso. Sou funcionário do clube. Seja como treinador interino, como auxiliar. O que a direção quiser, vou acatar e respeitar. Quero ajudar o Coritiba a conquistar o acesso, o título”.

Veja imagens do jogo:

Confira o lance a lance e a ficha técnica de Cascavel x Coritiba

***

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]