Triguinho é levado de ambulância à clínica de fraturas de Salvador: jogador fraturou a perna esquerda após entrada do goleiro baiano | Edson Ruiz / Folhapress
Triguinho é levado de ambulância à clínica de fraturas de Salvador: jogador fraturou a perna esquerda após entrada do goleiro baiano| Foto: Edson Ruiz / Folhapress

FICHA TÉCNICA: Confira como foi o lance a lance de Bahia x Coritiba, em Salvador

Com um gol nos acréscimos, o Coritiba arrancou um heróico empate contra o Bahia na noite desta terça-feira (2), em Salvador, e se mantém na liderança do Campeonato Brasileiro da Série B.

O atacante Bill, que entrou no segundo tempo, empatou um jogo que, minutos antes, parecia estar perdido. Pouco antes do fim do tempo regulamentar, aos 40', Éverton havia colocado o Tricolor baiano na frente, para delírio da torcida que lotou o estádio Pituaçu.

Entretanto, o gol salvador do centroavante coxa-branca - que fechou o placar em 1 a 1 - colocou colocou justiça no marcador. A nota triste do confronto foi a fratura na perna esquerda do lateral-esquerdo Triguinho, ainda na primeira etapa, em lance de dividida com o goleiro adversário. O árbitro Marcos André Gomes da Penha não marcou pênalti na jogada.

Na próxima sexta-feira (5), às 21h, o Coxa enfrenta o Ipatinga no Couto Pereira, em Curitiba. Uma vitória, combinada com um tropeço do quinto colocado Sport, coloca a equipe muito perto do retorno à elite do futebol nacional, mas não garante matematicamente a classificação.

Lesão e arbitragem duvidosa

Em um primeiro tempo muito movimentado, o maior destaque, infelizmente, foi negativo. Aos 24 minutos, o lateral-esquerdo Triguinho apareceu na área e se chocou com o goleiro Fernando. No lance, o jogador fraturou a tíbia e a fíbula da perna esquerda e deve passar por cirurgia.

Antes dos sete minutos de interrupção para o atendimento ao atleta coxa-branca, o clube paranaense mostrava maturidade em campo. Com um esquema similar ao usado no primeiro turno do campeonato – com dois zagueiros, três meio-campos, dois pontas e um centroavante – o time criou pelo menos três boas chances de gol, todas elas originadas de bolas paradas de Marcos Aurélio. Na melhor oportunidade dos donos da casa, Vanderlei espalmou chute forte de Ávine, aos 21’.

Depois da contusão, o árbitro capixaba Marcos André Gomes da Penha foi quem virou o centro das atenções. Aos 39’, marcou pênalti inexistente de Cleiton em Adriano. Na cobrança, porém, o atacante Jael mandou para fora. Do outro lado, Ângelo também tentou cavar uma penalidade, mas o juiz não apontou para a marca da cal. Aos 45’, Morais ainda exigiu boa defesa de Vanderlei. Na sequência da jogada, o Leandro Donizete desviou a bola com a mão dentro da área – e novamente nada foi assinalado.

Gols no fim e liderança mantida

No segundo tempo a qualidade do jogo caiu bastante. Mesmo empurrado pelos eufóricos torcedores baianos que lotaram o Pituaçu, o Bahia não se mostrava forte o suficiente para assustar o Coritiba, que, por outro lado, dominava o jogo e levava mais perigo à meta adversária.

Só que, em uma falha da zaga alviverde, Éverton , que substituiu o inoperante Adriano, aproveitou lançamento do próprio arqueiro e tocou na saída de Vanderlei. O relógio marcava 40 minutos e a liderança da competição ia mudando de mãos após dez rodadas.

No último suspiro - antes Jéci quase havia empatado de cabeça - Bill se tornou o salvador. Igualou o placar e manteve o Coxa na dianteira do campeonato.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]