Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Responsável por elaborar as tabelas dos Brasileiros de 2001 e 2002, marcada pela divisão entre "pequenos" e "grandes" – os jogos mais tradicionais e os clássicos eram disputados na metade final da competição –, o engenheiro mecânico Horácio Wendel prega que a fórmula de pontos corridos seja revista na edição 2008 do Nacional.

Apesar da emoção prevista para as últimas dez rodadas, exceto na luta pelo título, Wendel propõe que o Nacional tenha dois turnos de 19 jogos, com todos se enfrentando. Os dois melhores classificados na primeira fase garantem vaga na semifinal.

Na metade final do torneio, os mandos de jogos se invertem, zerando a pontuação. Novamente as duas equipes de melhor aproveitamento avançam. Caso os clubes vencedores sejam os mesmos do primeiro turno, apenas em posição alternada, os times vão direto para a final, em partidas de ida e volta.

O clube que terminar na dianteira (líder ou vice-líder) nos dois turnos será campeão no caso de apenas três times de credenciarem a disputar as semifinais.

"Mas se uma equipe ficar em primeiro tanto no turno quanto no returno, será campeã automaticamente", tenta explicar ele.

"O Brasileirão 2008 começaria por pontos corridos e mais para frente poderia se transformar num mata-mata. As últimas edições têm se arrastado pela falta de emoção, de inteligência na forma de disputa", critica o engenheiro.

A CBF não acena com a possibilidade de alterar o regulamento neste momento. (CEV)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]