Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Vitória apertada na última rodada da primeira fase classificou o Operário como segundo colocado do grupo 9 | Henry Milleo/ Gazeta do Povo
Vitória apertada na última rodada da primeira fase classificou o Operário como segundo colocado do grupo 9| Foto: Henry Milleo/ Gazeta do Povo

Grupo 10

Heroico, Iraty se classifica com empate

Em outro caso de time paranaense desclassificando uma equipe gaúcha, o Iraty conseguiu se manter na Série D acabando com as esperanças do Pelotas. Jogando no Rio Grande do Sul, na Boca do Lobo, o Azulão começou ganhando, com gol marcado no primeiro minuto do segundo tempo. O Pelotas, que estreou o técnico Cirio Quadros na partida de ontem, empatou, virou e estava com a vaga garantida, mas o zagueiro Renê, que voltava de suspensão, marcou o gol de empate – e da classificação – para o Iraty. O final da partida foi dramático e a equipe paranaense terminou o jogo com nove atletas em campo. Na próxima fase da Série D, o Iraty, segundo colocado no grupo A10, enfrenta o Joinville, que se classificou em primeiro na chave A9.

O Operário Ferroviário, de Ponta Grossa, conquistou ontem a classificação para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro, mas ainda não conseguiu empolgar a torcida. Nem mesmo a tarde de sol e calor e a expectativa de uma partida decisiva numa competição nacional foram capazes de levar ao Estádio Germano Kruger a quantidade de público que o time comumente arrastava em torneios paranaenses. Foram 2,8 mil pagantes – metade do número de torcedores que prestigiava a equipe em competições recentes. Mas o Operário está longe de ser um fracasso de público. Dos 40 times da primeira fase da Série D do Cam­­peonato Brasileiro, o Fantasma é o quinto em arrecadação e o nono em quantidade de torcedores. "Pela média da competição, o resultado é bom, mas está muito abaixo da nossa expectativa", reconhece Dorli Mi­­chels, que faz parte do grupo gestor. Ele diz que ainda não sabe por que tantos torcedores deixaram de ir ao estádio. Joel Goes, que vende doces no Germano Kruger, tem um palpite. "O time não faz gol", resume.

O Operário venceu as três partidas que disputou em casa – e ainda arrancou um empate fora – mas os resultados positivos contrastam com a baixíssima média de gols. Foram três em seis jogos. A diretoria e o corpo técnico admitem problemas no ataque. Tanto que a equipe busca reforços a partir de hoje. Além de atacantes, outros jogadores devem ser chamados para completar o time, já que vários problemas físicos têm desfalcado a escalação. Com pelo menos quatro titulares machucados e outros dois suspensos, o Fantasma foi a campo ontem para enfrentar o São José, de Porto Alegre.

O adversário não criou dificuldades. Entrou em campo com a classificação garantida pelo empate. E não parecia disposto a jogar. Tanto que aos 15 minutos do primeiro tempo o goleiro Rafael foi advertido com cartão amarelo por demorar na cobrança de um tiro de meta. Só aos 19 minutos do segundo tempo, o atacante Tardeli marcou o único gol da partida, ao receber um cruzamento de Danielzinho dentro da área. E foi só.

O próximo desafio do Operário será no dia 5, contra o Metropolitano, de Blumenau, que se classificou em primeiro pelo grupo A10. Agora, a competição entra numa fase de mata-mata, em turno e returno, com o perdedor sendo automaticamente desclassificado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]