A seleção feminina de futebol do Brasil lutou muito, perdeu um pênalti com Marta, acertou uma bola na trave, mas não conseguiu superar a muralha alemã perdendo o título da Copa do Mundo de futebol feminino. Apesar da derrota de 2 a 0, o vice-campeonato, o melhor resultado da história do Brasil em mundiais, coroa um ano de ouro para o futebol feminino brasileiro quando a seleção foi campeã pan-americana diante de um Maracanã lotado e a CBF anunciou a organização da primeira Copa do Brasil de futebol feminino .

Com o resultado, a Alemanha se iguala aos Estados Unidos no número de títulos. Cada um têm dois. As alemãs são as atuais bicampeãs e as americanas conquistaram os troféus de 1991 e 1995. A Noruega levou a taça em 1995.

No mundial deste ano, as americanas ficaram com o terceiro lugar ao derrotarem a Noruega por 4 a 1. Os gols das americanas foram marcados por Wambach (2), Chalupny e O´Reilly. Gulbrandsen descontou para as norueguesas.

O jogo

A partida começou disputada. Logo aos 4 minutos, Marta arriscou de longe para a tranqüila defesa de Angerer. Logo em seguida, Garefrekes recebeu livre na entrada da área brasileira e chutou para fora.

Aos 7, a seleção quase abriu o placar em chute de Cristiane que Angerer deu rebote para Formiga bater para fora.

A defesa brasileira dava espaço para o ataque alemão. Aos 13, Bresonik encontrou Smisek livre dentro da área. Mas a atacante chutou por cima do gol de Andréia.

Com o tempo, o time de Jorge Barcellos acertou a marcação no meio-campo e passou a dominar a partida. Tanto é que quase abriu o placar aos 23 num lindo chute de Daniela Alves da entrada da área que acertou a trave. Na sequência, Cristiane cruzou da direita e Daniela cabeceou para fora.

Enquanto a Alemanha não encontrava espaço, o Brasil seguia em busca do primeiro gol. Aos 34, Marta, que era muito bem marcada pela forte defesa alemã, conseguiu fazer uma linda jogada no meio-campo e passar para Cristiane na esquerda. A atacante cruzou de primeira na área, mas a bola não chegou em Daniela Alves.

Marta perde pênalti

O Brasil voltou para a etapa final sendo marcado em cima no seu campo de defesa pela Alemanha. A seleção parecia desligada e pagou caro por isso. Aos 6, Smisek recebeu a bola pelo lado direito e tocou para Prinz no meio da área abrir o placar. A goleira alemã, a melhor do mundo, passou todo o mundial sem ter de ir pegar uma bola no fundo das redes, fato inédito em mundiais femininos e masculinos.

Após o gol, a seleção tentou se organizar no ataque para buscar o empate. Mas foi a Alemanha que quase ampliou o placar em cabeçada de Krahn aos 15.

Aos 18, no entanto, o Brasil teve a chance de empatar. Cristiane foi derrubada na área e a árbitra Tammy Ogston marcou pênalti. Mas a goleira Angerer defendeu a cobrança de Marta.

A goleira alemã vinha se tornando a principal figura da partida. Aos 22 ela fez uma linda defesa após cobrança de falta de Daniela Alves no ângulo direito.

O Brasil seguiu pressionando, teve mais uma oportunidade com Marta aos 33, mas a noite era de Angerer, Prinz e Laudehr, que aos 41, marcou de cabeça fechando o placar e garantindo o bicampeonato.

Brasil 0 x 2 Alemanha

Local: Estádio de Hongku, em Xangai (China)

Árbitra: Tammy Ogston (Austrália)

Cartões Amarelos: Garefrekes e Bresonik (Alemanha) e Daniela Alves (Brasil)

Gols: Prinz aos 6 minutos e Laudehr aos 41 do segundo tempo para a Alemanha

Brasil: Andréia; Aline (Kátia Cilene), Tânia (Pretinha) e Ester (Rosana); Elaine, Renata Costa, Formiga, Daniela Alves e Maycon; Marta e Cristiane. Técnico: Jorge Barcellos.

Alemanha: Angerer; Stegemann, Krahn e Hingst; Bresonik, Behringer (Mueller), Laudehr, Garefrekes e Lingor; Smisek (Bajramaj) e Prinz. Técnico: Silvia Neid.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]