Promessa equatoriana, Fidel Martínez rejeita o rótulo de Neymar equatoriano: “Sou Fidel Martínez.” | Kevin C. Cox/Getty Images
Promessa equatoriana, Fidel Martínez rejeita o rótulo de Neymar equatoriano: “Sou Fidel Martínez.”| Foto: Kevin C. Cox/Getty Images

A Copa América das estrelas mundiais tem espaço para mais uma fornada de revelações. Jovens em sua maioria com menos de 23 anos, que já começam suas carreiras movimentando cifras expressivas, vestindo camisas pesadas e carregando comparações com grandes craques. Conheça dez jogadores para prestar atenção na Copa América 2015.

  • DERLIS GONZÁLEZ. O jovem atacante ganhou aos manchetes ao estrear na Liga Paraguaia aos 15 anos, pelo Rubio Ñu. Hoje, aos 21, González já coleciona uma transferência para o Benfica, jogos de Champions League pelo Basel (seu atual clube), participação de destaque em todas as seleções de base e a esperança de retomada da seleção principal do Paraguai.
  • FABINHO. Revelado pelo Fluminense, porém sem nunca ter jogado no time principal, Fabinho só foi se destacar com a camisa do Mônaco. Com o corte de Danilo, é o favorito para virar titular da lateral direita.
  • DIEGO ROLÁN. Revelado no Defensor e titular do Bordeaux, o atacante de 22 anos terá uma dura missão: substituir Luís Suárez na linha de frente da Celeste.
  • FIDEL MARTÍNEZ. A camisa amarela e o cabelo invocado levaram a um apelido tão inevitável quanto desprezado: Neymar equatoriano. “Sou Fidel Martínez”, diz o meia de 25 anos, que chegou a atuar na base do Cruzeiro e virou protagonista da seleção de seu país após a Copa de 2014.
  • ROBERTO FIRMINO. Destaque da Copa São Paulo de 2009 e alçado ao time principal do Figueirense no mesmo ano, Firmino transferiu-se ao Hoffenheim com 19 anos e tinha tudo para ser mais um brasileiro a sumir no futebol europeu. Entrou no radar da seleção com Dunga e não decepcionou: em seis jogos, marcou três gols.
  • JONATHAN RODRÍGUEZ. Revelado pelo Peñarol, Jonathan Rodríguez chegou de forma arrasadora ao Benfica no início do ano. No time B, fez cinco gols em seis jogos. Como prêmio, o jovem de 21 anos, comparado a Luisito Suárez, ganhou alguns minutos nas rodadas finais da Liga Portuguesa.
  • JEISON MURILLO. O zagueiro de 23 anos, revelado no Deportivo Cáli, teve uma temporada de sonhos. Liderou a defesa do Granada na heroica permanência na primeira divisão espanhola, acertou sua transferência para a Internazionale e barrou o veterano Mario Yepes na seleção colombiana.
  • JOSEF MARTÍNEZ. Aos 22 anos, Martínez é “veterano” de futebol europeu. Foram duas temporadas e meia entre sair do Caracas e chegar ao Torino. No clube italiano, rapidamente firmou-se como titular e peça-chave nas boas campanhas da Série A e da Liga Europa – protagonismo que espera repetir na seleção venezuelana.
  • ERIK LAMELA. O estrelado setor ofensivo da seleção argentina tem uma jovem aposta para a (rara) casualidade de Messi, Di Maria, Agüero e Tévez falharem: Erik Lamela. Camisa 10 daqueles fabricados aos montes em seu país, craque do Mundial Sub-20 de 2011, Lamela, aos 23 anos, vem de uma temporada em que conduziuo Tottenham à quinta posição na Premier League.
  • SEBASTIAN GAMARRA. Com apenas 18 anos, Gamarra carrega o pesado apelido de “Pirlo boliviano”. O rótulo foi colado por Pippo Inzaghi, seu técnico no Milan, onde joga no sub-20, e companheiro do Pirlo original no clube e na Azzurra. Precisará de mais do que isso para reconstruir a frágil seleção de seu país.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]