Di Maria comemora o primeiro gol da Argentina sobre o Chile, em Santiago: virada e vingança. | Martin Bernetti/AFP
Di Maria comemora o primeiro gol da Argentina sobre o Chile, em Santiago: virada e vingança.| Foto: Martin Bernetti/AFP

A Argentina venceu de virada por 2 a 1 o Chile, nesta quinta-feira pela 5ª rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, e se vingou da derrota na final na última Copa América. Em Santiago, mesmo palco da decisão da competição continental do ano passado – perdida pela Alviceleste nos pênaltis –, a Argentina utilizou seu poderio ofensivo, com craques mundiais como Lionel Messi, Sergio Aguero e Ángel Di Maria para buscar três importantes pontos.

O Chile, porém, começou muito veloz, pressionando a Argentina e não demorou para encontrar seu gol, abrindo o placar logo aos 10 minutos de jogo com Felipe Gutiérrez, de cabeça após cobrança de escanteio. A ‘Roja’ acabou sendo prejudicada pelas lesões de dois importantes peças no meio de campo antes da metade do primeiro tempo, Matías Fernandez e Marcelo Días.

TABELA: Veja a classificação das Eliminatórias

Aos 21 minutos, a Argentina, que já vinha crescendo no jogo, empatou num belo gol de Ángel Di Maria, acertando um chute colocado de primeira, após boa jogada de Banega. Messi, que fez boa partida, muito participativo e encontrando espaços para fazer a diferença, foi responsável pelo segundo gol.

Aos 24, após cruzamento na área do Chile, a bola sobrou para Messi dominar no peito e invadir a área. A marcação tirou, mas a bola ficou com o lateral Mercado, que acertou um lindo voleio dentro da área. Com a vantagem no placar, a Argentina impôs sua ótima troca de passes no segundo tempo, sempre jogando em função de Messi, capaz de fazer o difícil parecer simples.

Aos 22, Messi lançou Aguero, o atacante do Manchester City driblou a marcação e chutou forte, mas a bola raspou a trave do goleiro chileno Claudio Bravo, na única clara chance de gol da segunda etapa. Com os três pontos, a Argentina, que começou as eliminatórias muito mal, se recupera lentamente na tabela, aparecendo provisoriamente na 4.ª colocação com 8 pontos, um a mais que o Brasil, que fecha a rodada nesta sexta-feira recebendo em Recife o Uruguai (2.º com 9 pontos).

Clássico com o Uruguai testa a força caseira da ‘Era Dunga’

Leia a matéria completa

Equador empata e segue líder

Mais cedo, o Equador, líder isolado das Eliminatórias, empatou em 2 a 2 com o Paraguai em Quito e perdeu os 100% de aproveitamento na competição, mas garantiu a primeira colocação por pelo menos mais uma rodada.

Grande surpresa das eliminatórias, com um futebol ofensivo e eficiente que vem dando frutos, o Equador abriu o placar com Enner Valencia, aos 19 minutos de jogo, dando a impressão de que encaminharia sua 5.ª vitória em cinco jogos com facilidade. O Paraguai, porém, mostrou sua famosa garra e virou a partida com dois gols do atacante Dario Lezcano, aos 37/1.º e 13/2.º.

Na tentativa de furar a forte retranca armada pela equipe paraguaia nos minutos finais, o Equador impôs uma forte pressão, encontrando o gol de empate nos acréscimos com Ángel Mena. O resultado salvou a invencibilidade do Equador, que segue na liderança das eliminatórias sul-americanas, agora com 13 pontos, e não poderá ser alcançado nesta rodada.

Apesar de lamentar ter sofrido o empate nos últimos minutos, o ponto somado fora de casa foi bom para o Paraguai, que assume provisoriamente a 3.ª colocação com os mesmos 8 pontos da Argentina.

James brilha e Colômbia vence

Na primeira partida do dia, a Colômbia venceu por 3 a 2 fora de casa a Bolívia, no estádio Hernando Siles, em La Paz. O meia do Monterrey mexicano Edwin Cardona deu a vitória à Colômbia nos acréscimos da partida, finalizando com classe um rápido contra-ataque colombiano.

A Colômbia abriu o placar com James logo aos 10 minutos de jogo e Carlos Bacca ampliou aos 40, mas, no segundo tempo, a Bolívia conseguiu empatar parcialmente, primeiro com Juan Carlos Arce, de pênaltis aos 4, e em seguida com Alejandro Chumacero, aos 17.

James, camisa 10 da equipe e grande estrela do conjunto ‘cafetero’, foi o grande nome do jogo e essencial para garantir os três pontos para sua seleção.

Além de abrir o placar, o meia do Real Madrid foi responsável pela assistência no gol de Bacca e armou o contra-ataque que culminou no gol decisivo de Cardona, no último minuto do jogo.

Na próxima rodada, na terça-feira, a Bolívia visita a Argentina em Córdoba, enquanto a Colômbia recebe em Barranquilla o Equador e o Paraguai encara em Assunção a seleção brasileira.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]