Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A Arena tem canalizado boa parte do dinheiro do Atlético | Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
A Arena tem canalizado boa parte do dinheiro do Atlético| Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Botelho de saída

Afastado pela diretoria do Atlético após a Copa do Brasil, o lateral-esquerdo Pedro Botelho pode defender o Atlético-MG em 2014. De acordo com a Rádio Transamérica, o jogador será emprestado ao Galo, atual campeão da Libertadores. Baiano de Salvador, Botelho chegou ao Rubro-Negro em 2012, junto com o gerente Sandro Orlandelli, que o havia levado para o Arsenal, em 2007. Após passar por várias equipes do futebol espanhol, o atleta veio sem custo para o Furacão e foi destaque na campanha da equipe na Série B.

"O futebol será nossa prioridade, mas nenhum sacrifício que venha do futebol e seus produtos será preciso ir para os tijolos." A promessa de campanha feita por Mario Celso Petraglia em dezembro de 2011 não vem sendo cumprida após pouco mais de dois anos de mandato à frente do Atlético. Focado na reforma da Arena da Baixada – estádio que vai receber quatro partidas da Copa do Mundo –, o clube sofre com salários e premiações atrasadas, além de passar por momento de contenção de investimentos nos gramados.

INFOGRÁFICO: Confira as prováveis mudanças no time do Atlético para a estreia na Libertadores

De acordo com apuração da Gazeta do Povo, parte do elenco tem dois meses de direito de imagem vencido, além da segunda parcela do décimo terceiro salário. Os bônus por metas atingidas, como classificação à primeira fase da Libertadores e final da Copa do Brasil, também estão em aberto.

"Pelo que estou sabendo, está todo mundo do mesmo jeito. Os atletas estão esperando sair o que foi acertado", afirma o ex-técnico do time, Vagner Mancini, sobre premiações. "Lembro que no último mês houve certo atraso no pagamento, mas foi tudo conversado antes. Eles [diretoria] nos falaram que estão passando um momento difícil financeiramente... Então, que está tudo meio atrasado, está", completou o antecessor do espanhol Miguel Ángel Portugal.

O atraso no repasse de verbas do BNDES e o aumento do custo para a conclusão da Baixada para R$ 265 milhões (sem impostos) – que obrigaram o presidente a subir em um carro de som para pedir o fim da greve de operários em dezembro – respingam ainda na reformulação do elenco. Jogadores-chave na última temporada, Everton e Léo deixaram o CT do Caju, apesar de o time paranaense ter prioridade de compra. O meia argentino Lucas Mugni, que estava muito perto do Furacão, também foi perdido, essencialmente por causa da questão financeira. Jogará no Flamengo em 2014, assim como os outros dois.

O treinador Portugal trabalha com elenco reduzido em seus primeiros dias em Curitiba. No jogo-treino com o Joinville ontem, por exemplo, teve de improvisar os volantes Paulinho Dias e Zezinho nas laterais por falta de opção. Os recém-contratados Sueliton, ex-Criciúma, e o uruguaio Lucas Olaza ainda não estão disponíveis.

Fora da Arena, o Atlético tem dificuldade até para cumprir o prazo de pagamento da Vila Capanema, que está atrasado segundo o Paraná. Cenário diferente do pintado há dois anos, quando o time estava à beira da Série B. Hoje, na Libertadores, tem de segurar os gastos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]