Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Carlos Garcia Rawlins/Reuters
| Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

O Tribunal de Disciplina da Conmebol deu prazo até esta sexta-feira (19) para a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) apresentar uma defesa para o julgamento de Neymar. O atacante foi expulso após o término da partida contra a Colômbia, na noite de quarta (17). O brasileiro foi relatado na súmula pelo chute na bola que acertou Armero depois do encerramento do jogo.

A decisão sobre a punição a Neymar será tomada até o próximo domingo (21).

Neymar havia recebido o segundo cartão amarelo, o que o suspende automaticamente para o jogo contra a Venezuela, domingo (21) -foi um na estreia, contra o Peru, após tirar a espuma que o árbitro coloca na grama para marcar onde fica a bola, e outro contra os colombianos, ao tocar a mão na bola.

Como o regulamento da Copa América, artigo 29, diz que se o jogador for expulso direto, caso do brasileiro, a advertência anterior não se anula, ele terá que acumular suspensões.

O Tribunal de Disciplina da Conmebol pode dar quantos jogos quiser pelo vermelho, além do automático que deveria cumprir, caso o Brasil avance às quartas de final.

O órgão poderá também reverter a punição, caso aceite o argumento de defesa da CBF. Assim, Neymar ficaria fora apenas do jogo contra a Venezuela.

O árbitro chileno Enrique Osses citou na súmula da partida que Neymar atirou deliberadamente a bola no colombiano Armero após o término da partida. Após a bolada, Neymar ainda deu uma leve cabeçada em Bacca em meio a uma discussão. Osses deu o vermelho ao brasileiro e a Bacca, que havia empurrado Neymar.

Em um texto publicado no site oficial da Copa América, Neymar é duramente criticado. “Neymar teve uma atuação imprópria de um futebolista profissional ao dar um chutaço em direção a Armero”, escreveu o site.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]