O Coritiba de Wellington Paulista assumiu a liderança e pretende mantê-la para ter vantagem no mata-mata. | Antônio More/Gazeta do Povo
O Coritiba de Wellington Paulista assumiu a liderança e pretende mantê-la para ter vantagem no mata-mata.| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

Na antepenúltima rodada da primeira fase do Paranaense mais três times garantiram a vaga nas quartas de final: Operário, Foz do Iguaçu e Londrina. Eles juntaram-se a J.Malucelli e Coritiba, que já estavam classificados. Por outro lado, Prudentópolis, ao lado do Nacional, já está matematicamente no Torneio da Morte.

Agora, os cinco times restantes brigam nas duas últimas rodadas por uma das três vagas restantes na próxima fase. A principal motivação é a vantagem no mata-mata. Os confrontos de volta das finais (quartas, semi e final) serão disputados na casa dos times com melhor campanha geral, ou seja, contabilizando todas as fases.

Veja abaixo pelo que lutará cada uma das 12 equipes a partir do próximo final de semana, quando ocorrerá a penúltima rodada do Estadual.

1º Coritiba

Com 22 pontos após a vitória sobre o Jotinha, o Coritiba chegou à liderança e lutará para mantê-la até o fim dessa fase, o que garantirá a vantagem de disputar a segunda partida do mata-mata no Couto Pereira até a final – caso mantenha melhor campanha do que seus adversários somando as fases de quartas de final e semifinal. O Coxa ainda jogará contra Cascavel (casa) e Paraná (fora). O Alviverde é o único que venceu sete partidas nos nove primeiros jogos. Foram 14 gols marcados, melhor ataque da competição, e cinco sofridos, saldo de 9.

2º J.Malucelli

Após a derrota para o Coxa, o Jotinha perdeu a invencibilidade e caiu para a segunda posição, com 20 pontos, 6 vitórias, 12 gols marcados, 4 sofridos e um saldo positivo de 8. Nas duas últimas rodadas buscará manter-se no G4 e decidir como mandante pelo menos nas quartas de final. Os adversários serão Londrina (casa) e Maringá (fora).

3º Operário

O empate com o Cascavel foi o suficiente para o Fantasma, melhor time do interior no momento, garantir a classificação. Agora com 17 pontos, 5 vitórias, 13 gols marcados, 6 sofridos e saldo 7, a equipe busca ficar entre os quatro primeiros, um grande passo para o objetivo de conseguir a vaga na Série D, decidindo as quartas de final em Ponta Grossa. Os últimos jogos do Operário são contra Paraná (casa) e Rio Branco (casa).

4º Foz do Iguaçu

Para um time que só pretendia permanecer na Primeira Divisão, a classificação para as quartas de final chegou com duas rodadas de antecedência, após a vitória sobre o Prudentópolis. De quebra, a principal surpresa da competição ainda conseguiu ficar entre os quatro melhores e buscará manter isso, o que levará a segunda partida das quartas de final para Foz do Iguaçu e uma proximidade maior da vaga na Série D. Podendo matematicamente ainda sonhar com a liderança, como Operário e Jotinha, a equipe do Oeste ainda enfrentará Rio Branco (fora) e Cascavel (casa). Até agora o time fez 16 pontos, 5 cinco vitórias, 10 gols marcados e 9 sofridos (saldo de apenas 1).

5º Londrina

Um empate com o Paraná no sábado (14) foi o suficiente para o atual campeão paranaense também garantir a classificação. Agora a busca é voltar para o grupo dos quatro primeiros, mas terá duas rodadas difíceis, contra J.Malucelli (fora) e Atlético (casa). O Tubarão já conquistou 15 pontos, com 4 vitórias, 8 gols marcados e apenas 2 sofridos – a melhor defesa –, totalizando um saldo de 6.

6º Paraná

O Tricolor precisa de um empate, contra Operário (fora) ou Coritiba (casa), para garantir a classificação para as quartas de final, o que pode ocorrer mesmo com duas derrotas, desde que o Atlético não vença um dos seus jogos. Para ficar entre os quatro primeiros e decidir as quartas de final na Vila Capanema, terá de tirar pelo menos a diferença de dois pontos do Foz do Iguaçu. Com o empate com o Londrina, o Paraná chegou a 14 pontos, 4 vitórias, 10 gols marcados e 8 sofridos, saldo de 2.

7º Maringá

O vice-campeão estadual deu um passo importante para manter-se na Primeira Divisão e classificar-se para as quartas de final ao vencer o Atlético na Baixada. Com os mesmos 14 pontos do Paraná, depende também de um empate contra Prudentópolis (fora) ou J. Malucelli (casa). Hoje o time tem 14 pontos em 4 vitórias, mas fica atrás do Paraná no saldo de gols (0), com 11 marcados e sofridos.

8º Cascavel

Com cinco pontos a mais do que o Atlético, o primeiro time na zona do Torneio da Morte, a Serpente depende de uma vitória ou dois empates nas rodadas derradeiras para garantir-se entre os oito primeiros. O problema é que as duas partidas são fora de casa, contra Coritiba e Foz do Iguaçu. O Cascavel tem 13 pontos, 4 gols marcados e 3 sofridos, saldo 1.

9º Atlético

A derrota para o Maringá na Baixada foi desastrosa para o Furacão, que agora não depende mais das próprias forças para escapar do Torneio da Morte. A equipe precisará vencer os dois últimos jogos, contra Nacional (casa) e Londrina (fora), e torcer por tropeços de Cascavel, Maringá ou Paraná. A Serpente, por exemplo, só poderia somar mais um ponto e os outros não poderiam mais pontuar – aí a briga ficaria no saldo de gols. Resultado de uma pífia campanha atleticana com 8 pontos conquistados, 2 vitórias, 5 gols marcados e 9 sofridos, saldo de -4.

10º Rio Branco

Após perder para o então lanterna Nacional em casa, o time de Paranaguá também precisa de um aproveitamento de 100% contra Foz do Iguaçu (casa) e Operário (fora) para ter alguma chance de evitar o Torneio da Morte. Além disso, o Cascavel precisa perder os seus dois jogos e o Atlético empatar pelo menos um. O Leão da Estradinha conquistou 7 pontos, com 2 vitórias, 6 gols marcados e 11 sofridos, saldo de -5.

11º Nacional

Sem chance de escapar do Torneio da Morte, o time de Rolândia conseguiu a primeira vitória na competição, contra o Rio Branco, deixou a lanterna e terá mais duas rodadas para preparar a equipe para a disputa contra o rebaixamento. O time tem três pontos, com 10 gols marcados e 20 sofridos (a pior defesa), saldo de -10. Na primeira fase ainda enfrentará Atlético (fora) e Prudentópolis (casa)

12º Prudentópolis

A derrota para o Foz do Iguaçu deixou o Prudentópolis na lanterna e acabou com qualquer chance matemática do time de escapar do Torneio da Morte. Sem ter vencido nenhuma partida, a equipe tem dois pontos apenas, com o pior ataque da competição, 2 gols, e 17 sofridos, saldo de -15. Como o Nacional, o Prude terá as duas últimas rodadas, contra Maringá (casa) e Nacional (fora), para preparar a equipe para o Torneio da Morte, quando todos os times começarão zerados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]