i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
paranaense

Alex 'assina' vitória do Coxa contra o Rio Branco

Com dois gols típicos do camisa 10, Coritiba vence o Leaõ e o forte calor de Paranaguá

  • PorLeonardo Bonassoli
  • 16/03/2014 21:02
Ídolo coxa-branca cobra falta com perfeição para fechar o placar no Gigante do Itiberê. Especialista no lance, camisa 10 ainda não havia feito gol de bola parada | Brunno Covello/ Gazeta do Povo
Ídolo coxa-branca cobra falta com perfeição para fechar o placar no Gigante do Itiberê. Especialista no lance, camisa 10 ainda não havia feito gol de bola parada| Foto: Brunno Covello/ Gazeta do Povo

Vestário

Coritiba diz que venceu Rio Branco e o gramado

O gramado do Gigante do Itiberê, em Paranaguá, quase roubou a cena da vitória do Coritiba sobre o Rio Branco por 2 a 0 ontem. Uma infestação por praga secou boa do piso, já irregular, e obrigou os times a trabalharem menos a bola.

"Nos adaptamos e conseguimos vencer o jogo. Tivemos intensidade e trocamos passes", afirmou o técnico Dado Cavalcanti, que apontava antes da partida que o time teria dificuldade para segurar a bola no local.

A forma como os gols do Coritiba saíram foram influenciados pelo estado do gramado: um em uma bola aérea e o outro em uma bola parada, ambos de Alex. "O campo atrapalha muito e tivemos de usar mais o jogo aéreo e força", completou o meia Norberto, utilizado em boa parte da segunda etapa.

Mesmo com a vitória, o estado precário do piso chegou a ser alvo de ironia do meia Robinho, do Coritiba. "O gramado está bom para caramba. Vocês estão vendo que ele está ótimo", disse o atleta.

O problema no campo do estádio municipal de Paranaguá foi semelhante ao que deu na Vila Capanema no ano passado. Só que naquela oportunidade, o uso de um produto incompleto acabou por matar o gramado, que acabou sendo substituído por inteiro.

Com dois gols típicos de Alex, o Coritiba largou bem nas quartas-de-final do Campeonato Paranaense e bateu o Rio Branco, por 2 a 0, no Gigante do Itiberê. A partida começou às 16 horas, com 41 graus centígrados de sensação térmica.

O duelo decisivo do mata-mata será no próximo fim de semana, em Curitiba.

No gol que abriu a vitória alviverde, o meia mostrou oportunismo, ao se posicionar bem e se antecipar à zaga. No segundo, uma cobrança de falta garantiu uma marca especial: foi o 50.º gol neste fundamento dos agora 415 feitos na carreira do atleta.

Embora seja relativamente comum, equivalendo a 12% de todos os gols do experiente jogador, a falta convertida no Litoral foi apenas a primeira do ano do meia.

"Brinquei com o Wilton [Bezerra], auxiliar técnico, que ainda não tinha saído gol assim neste ano e algumas nem passado da barreira ou ido bem longe do gol. Falei que um dia a coisa aconteceria e foi hoje [ontem]. É algo de muito treinamento para que nos jogos surjam estas oportunidades", afirmou Alex após o jogo.

A visão do camisa 10 foi utilizada para encontrar o canto direito de Thiago Rodrigues e também foi fundamental no primeiro gol. Alex sinalizou para Germano para que o volante colocasse a bola no lateral-direito Victor Ferraz que subia pelo lado do campo. "O Alex sempre pede essas bolas. Ele é um meia que tem essa característica de entrar bem na área para finalizar", analisou Victor Ferraz, que acertou o cruzamento.

"De vez em quando, a gente tem de dar essa enganada dos zagueiros", completou com bom humor o meia, que após o jogo autografou camisas de torcedores na beira do gramado, inclusive uma da Turquia, onde também tem status de ídolo após uma década defendendo o Fenerbahçe.

O bom humor, no entanto, fica de lado ao analisar a equipe como um todo. "As chances surgiram e foi um ótimo resultado. Mas é óbvio e inegável e ninguém aqui vai mentir que estamos muito bem. Não foi nenhuma maravilha. Hoje estamos de parabéns por ter se adequado. Todos sabem e o treinador sabe que temos ainda muito a evoluir", analisou Alex.

O resultado permite que o Coritiba possa até perder por um gol de diferença para avançar às semifinais. Em caso de derrota por dois gols, a decisão será por pênaltis.

A partida do Couto Pereira ainda não foi homologada pela Federação Paranaense de Futebol, mas tende a ser marcada para o sábado, pois a Polícia Militar não recomenda dois jogos em Curitiba no mesmo dia e Atlético e Paraná têm compromissos marcados para quinta-feira.

"Estaremos sendo hipócritas se não considerarmos esta vantagem para o próximo jogo. Hoje estivemos ocupando grandes espaços que o Dado [Cavalcanti, técnico] desenhou para a gente pelos lados do campo, com o Victor Ferraz teve", concluiu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.