O meia Lúcio Flávio é um dos jogadores do Coritiba pendurados para o duelo com o Flamengo: meta é evitar cartões para jogar o Atletiba. | Henry Milleo/Gazeta do Povo
O meia Lúcio Flávio é um dos jogadores do Coritiba pendurados para o duelo com o Flamengo: meta é evitar cartões para jogar o Atletiba.| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

O Coritiba chega ao duelo com o Flamengo, às 21 horas, no Mané Garrincha, em Brasília, como líder absoluto de faltas cometidas e de amarelos recebidos do Brasileiro. Em 25 rodadas, o clube acumula 416 infrações (uma a cada cinco minutos; 16,6 por jogo), pelas quais recebeu 83 reprimendas (uma a cada 27 minutos; 3,3 por partida).

ENQUETE: quem vai vencer o Atletiba?

TABELA: veja a classificação da Série A

Ex-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro diz que cultura impede estádio único para rivais

A proposta do ex-presidente do Coritiba Giovani Gionédis para que o Coxa e Paraná dividissem com o Atlético seus mandos de jogos na Arena da Baixada não é viável na opinião de outro ex-mandatário alviverde...

Leia a matéria completa

Médias que têm atrapalhado a equipe na luta contra o rebaixamento. Ao todo, já perdeu 15 jogadores por suspensão. Nesta quinta, contra um oponente embalado por seis vitórias consecutivas, não tem o volante Ícaro à disposição por esse motivo, além do lesionado Ruy.

“Pelo começo [ruim] do campeonato e a circunstância dos árbitros [mais severos], isso [alto índice de faltas] atrapalhou nosso time. Foram muitos cartões assim. Devido à exposição ao ataque, o time fica vulnerável na defesa”, explica o defensor Leandro Silva, que ficou fora duas rodadas por suspensão.

O zagueiro improvisado como lateral-direito é o quarto atleta mais faltoso do elenco, com 25 infrações. Só perde para o volante João Paulo (37), o meia Thiago Galhardo (32) e o meia Helder (27), que agora defende o Paraná.

No quesito amarelos, Galhardo e Ruy, jogadores que cumprem papel prioritário no setor de criação, lideram a estatística, com sete. Com um a menos estão João Paulo, Leandro Silva e Norberto, que trocou o Coxa pelo Vitória.

“Temos feito marcação forte, começando na frente, com todos atrás da linha da bola. Isso reflete em algumas faltas”, admite o atacante Henrique Almeida. Curiosamente, apesar do alto índice de advertências, o Coxa é o terceiro time que menos teve jogadores expulsos (2), atrás de Sport e Grêmio.

Pelo começo [ruim] do campeonato e a circunstância dos árbitros [mais severos], isso [alto índice de faltas] atrapalhou nosso time. Foram muitos cartões assim. Devido à exposição ao ataque, o time fica vulnerável na defesa

Leandro Silva, zagueiro do Coritiba improvisado na lateral direita

Diante do Rubro-Negro carioca é possível que o Coxa se mantenha como o time mais faltoso do campeonato. Empolgado por já ter garantido o público recorde desta temporada (67 mil pessoas), o rival promete atacar os paranaenses – o que aumenta a probabilidade de os comandados de Ney Franco precisarem parar o jogo com mais frequência.

A ordem, porém, é evitar cartões. Ainda mais agora que o time voltou à área da degola, podendo escapar com um triunfo combinado com um tropeço de Figueirense, Goiás, Cruzeiro ou Chapecoense.

“Se matei a jogada [e fui punido], faz parte. Mas por reclamação está complicado. É conversar com o árbitro e tomar amarelo”, reclama Leandro Silva.

Há outro motivo para alguns jogadores se comportarem na capital federal. Entre os prováveis titulares, o atacante Henrique, o meia Lúcio Flávio, o atacante Negueba e o goleiro Wilson estão pendurados com dois cartões. Receber mais um significa ficar fora do Atletiba do próximo domingo (20), no Couto Pereira.

“Sei que estou pendurado e quero enfrentar o Atlético, mas primeiro temos de pensar no Flamengo”, lembra Henrique, artilheiro coxa-branca na Série A, com seis gols.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]