Thomas Müller fez dois gols contra Gibraltar | EFE
Thomas Müller fez dois gols contra Gibraltar| Foto: EFE

A Alemanha recebeu Gibraltar nesta sexta-feira, em Nuremberg, e não teve qualquer trabalho pra golear por 4 a 0, em jogo válido pelas Eliminatórias para a Eurocopa de 2016. O resultado, no entanto, demonstrou a má fase vivida pelos atuais campeões mundiais, que diante de um adversário extremamente frágil marcaram "só" quatro vezes. Esta foi a menor derrota dos gibraltinos nas Eliminatórias - haviam tomado de 7 a 0 da Polônia e da Irlanda.

Com o resultado, a Alemanha se manteve na terceira colocação do Grupo D com sete pontos, empatado com a Irlanda, que perdeu para a Escócia por 1 a 0 nesta sexta, mas com desvantagem no saldo de gols. A liderança é da Polônia, que goleou a Geórgia por 4 a 0, mesmo fora de casa, e chegou aos 10 pontos.

Na véspera do confronto desta sexta, o técnico alemão Joachim Löw chegou a falar de recorde de gols e afirmou que colocaria "quantos atacantes fosse possível" em campo. Em certo momento, a equipe chegou a ter sete homens de frente, mas mostrou mais uma vez um futebol abaixo do esperado e chegou a ouvir vaias da torcida nos últimos minutos, mesmo com o 4 a 0.

A ideia da Alemanha era acabar com a má fase após a Copa. Nas últimas quatro partidas a equipe venceu apenas uma, empatou outra e perdeu duas. E o adversário não poderia ser melhor, já que apenas dois dos 11 gibraltinos que entraram em campo eram jogadores profissionais - os outros se dividiam em empregos "comuns", como bombeiros, policiais, entre outros.

Com isso, a partida virou praticamente um treino de ataque contra defesa. Thomas Müller abriu o placar aos 11 minutos, em lance cheio de trapalhadas do goleiro e do zagueiro adversário. Aos 29, ele mesmo ampliou, aproveitando cruzamento rasteiro da esquerda de Podolski. O terceiro saiu ainda no primeiro tempo, após bela tabela, que Mario Götze aproveitou para tocar na saída do goleiro com estilo.

Ainda nos acréscimos, Gibraltar assustou e quase marcou um golaço em chute de muito longe de Walker, que Neuer precisou se esticar todo para defender. Na etapa final, apenas mais um gol, contra, de Santos. A passividade alemã diante de um adversário tão inferior irritou a torcida, que começou a vaiar. O apito final deixou a impressão de que este talvez tenha sido o 4 a 0 menos comemorado do futebol.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]