Alexandre de Moraes, secretário de segurança pública de São Paulo: ameaça às torcidas organizadas. | Suamy Beydoun/Futura Press/Folhapress
Alexandre de Moraes, secretário de segurança pública de São Paulo: ameaça às torcidas organizadas.| Foto: Suamy Beydoun/Futura Press/Folhapress

O secretário estadual da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, falou em tom de ultimato às torcidas organizadas nesta sexta-feira (15), em entrevista sobre a operação da Polícia Civil denominada Cartão Vermelho, realizada durante a madrugada.

“Ou as organizadas escolhem o lado da lei e da ordem e nos auxiliam, de verdade, a expulsar os torcedores criminosos e prendê-los com provas, ou elas vão optar por estar ao lado dos criminosos e vão acabar”, afirmou.

A operação emitiu 69 mandados em sete cidades de São Paulo e em Uberaba (MG). Foram 32 mandados de busca e apreensão e 37 de prisão – dez temporárias e 27 preventivas. A operação segue em andamento, e 26 mandados de prisão já foram cumpridos.

Foram realizadas buscas em quatro sedes de torcidas organizadas: duas do Palmeiras – Mancha Alviverde e Mancha Alviverde Baixada, na Praia Grande – e duas do Corinthians – Gaviões da Fiel e Pavilhão Nove.

Operação Cartão Vermelho prende torcedores de organizadas em São Paulo

Leia a matéria completa

A operação também contou com a presença dos bombeiros, que lacraram a sede da Pavilhão Nove por não atender requisitos de segurança. Segundo Moraes, o mesmo deve ocorrer com a Gaviões da Fiel.

O secretário também disse a operação apreendeu vários celulares, e que já foram encontradas conversas que provam a participação de alguns indivíduos nos confrontos entre torcedores corintianos e palmeirenses no dia 3 de abril, quando as equipe se enfrentaram pelo Campeonato Paulista.

“Encontramos conversas entre torcedores, um preocupado com o outro, com as imagens da televisão. Em outra conversa se vangloriando, dizendo que chutou um, que bateu no outro. Tem muito material”, disse Moraes.

A Secretaria da Fazenda também participou da operação. Segundo o secretário, o órgão fará um “pente fino” nas contas das organizadas.

Moraes afirmou que a operação desta sexta é uma continuidade das medidas tomadas no dia 4 de abril, em que se proibiu a entrada nos estádios de torcedores com identificação de organizadas, como faixas, tambores, e roupas; se instituiu que os clássicos no Estado de São Paulo serão realizados com torcida única até o final do ano; e obrigou os clubes a venderem ingresso apenas online, para evitar o repasse a torcidas organizadas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]