Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Lúcio Flávio resumiu como “lamentável” os jogadores dependerem do não rebaixamento para poderem receber os salários atrasados | André Rodrigues/ Gazeta do Povo
Lúcio Flávio resumiu como “lamentável” os jogadores dependerem do não rebaixamento para poderem receber os salários atrasados| Foto: André Rodrigues/ Gazeta do Povo

Rivais em campo, o meia paranista Lúcio Flávio e o ídolo coxa-branca Alex estão no mesmo time nas críticas ao Paraná. Mais especificamente à solução encontrada pela diretoria da equipe para quitar os salários atrasados do elenco tricolor — são quatro meses de salários e cinco meses de direitos de imagem em débito.

Os dois reagiram à informação da cúpula paranista de que o orçamento para pagar as dívidas o quanto antes depende de o time permanecer na Segunda Divisão. Além de líderes de suas equipes, os dois estão também entre os principais representantes do Bom Senso FC, grupo que briga pelos interesses dos profissionais da bola.

"Infelizmente, chegou a esse nível. O grupo sabe da responsabilidade, porém, é lamentável isto acontecer. Então, temos de nos manter na Série B para podermos receber", afirmou à reportagem da Gazeta do Povo o meia Lúcio Flávio.

Mais cedo, em sua conta no Twitter, Alex já havia mostrado indignação com o episódio. "A que ponto o futebol chegou! Incrível isso. Fico pensando nas famílias", comentou Alex. Posteriormente, indagado por um seguidor sobre a possibilidade de os atletas tricolores ficarem sem receber em caso de queda à Série C, o Menino de Ouro foi irônico: "Boa pergunta".

Para quitar pelo menos dois meses e meio dos vencimentos atrasados, a diretoria do Paraná busca, com a CBF, o adiantamento das cotas de tevê da Série B 2015. No entanto, para que a negociação seja possível, o time comandado pelo técnico Ricardinho necessita evitar o rebaixamento à Série C. Com 44 pontos e na 13.ª posição, o Paraná precisa de apenas mais uma vitória nas três rodadas finais para alcançar o objetivo.

Presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado do Paraná (Sapepar), o ex-jogador Nivaldo Carneiro, apoia Alex e Lúcio Flávio. "A diretoria está usando de um artifício que, para o jogador, fica difícil. Independentemente de receber ou não, o atleta quer vencer os jogos, pois pensa na sua carreira. Não concordo com esse tipo de proposta", afirma.

Carneiro também revela que o elenco do Paraná não procurou o Sindicato para intermediar nova conversa com a diretoria tricolor.

"O Sindicato tem o papel de tirar o jogador do confronto, do diálogo mais pesado com a diretoria. Fazemos essa intermediação. Sem sermos procurados pelos atletas, entretanto, não podemos fazer nada. Para se tomar alguma atitude contra a diretoria de qualquer clube temos de ter o endosso dos atletas", completa Carneiro.

A reportagem tentou entrar em contato com o vice-presidente do Paraná, Celso Bittencourt, e com o gerente de futebol do clube, Marcus Vinícius, mas eles não atenderam as ligações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]