Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Demerson espera mostrar futebol para ficar no Tricolor na Série B. | Monique Vilella/Rádio Banda b
Demerson espera mostrar futebol para ficar no Tricolor na Série B.| Foto: Monique Vilella/Rádio Banda b

Recém-contratado pelo Paraná, o zagueiro Demerson, de 29 anos, chega ao clube com contrato válido só até o fim do Estadual. O jogador encara o vínculo de curta duração como um desafio na carreira e quer provar para a diretoria do Tricolor que merece permanecer no elenco para a Série B.

“Na minha vida as coisas sempre aconteceram com muita dificuldade. Nunca fugi de desafios e não seria agora que negaria”, afirmou o defensor na tarde desta quarta-feira (2), antes do treino da equipe no CT Racco. “Espero fazer o meu melhor no dia a dia e provar em campo para, até mesmo antes do fim do contrato, que a gente possa conversar e acertar e ajustar uma sequência”, prossegue.

Além da vontade de permanecer, outro fato pesa para que Demerson deseje defender o Paraná na Segundona. A esposa do jogador é natural de Curitiba e, por causa disso, o jogador mantém residência fixa na capital paranaense. “Eu precisava voltar a jogar no Brasil. A diretoria me falou que quer me ver trabalhando de perto. Já demonstraram esse interesse em mim para a Série B. Eu topei o desafio imediatamente”, explica o atleta, que em 2015 atuou no futebol chinês.

Top 5: as razões para o sucesso do Paraná em 2016

Leia a matéria completa

O defensor ainda assegura que, caso tenha a documentação regularizada a tempo para o clássico de domingo (6), contra seu ex-clube, o Coritiba, no Couto Pereira, está pronto para jogar. “Venho trabalhando desde o início do ano e estou 100% fisicamente. Não vou ter sentimento nenhum em enfrentar o Coritiba, por ser meu ex-clube. Já passei por outros clubes depois e hoje defendo o Paraná”, completa.

Futebol chinês

Em 2015, Demerson defendeu a equipe do Jiangxi Liansheng no Campeonato Chinês. O zagueiro assegura que a adaptação ao país asiático foi rápida, mas reconhece que o nível do futebol ainda é baixo.

“Nem todos os atletas chineses são qualificados, eles não têm o mesmo profissionalismo. Se você não estiver focado, pode acabar se acomodando”, revela.

Recentemente, o futebol chinês vem assombrando o mundo com contratações de peso. O campeão brasileiro Corinthians, por exemplo, perdeu para a China atletas como o zagueiro Gil, os volantes Ralf e Elias e o meia Renato Augusto. Para Demerson, a chegada destes e de outros atletas deve ajudar a melhorar o esporte no país.

Além disso, Demerson relatou experiências diferentes que viveu na China e até arriscou algumas palavras em mandarim, um dos idiomas locais. “Fui capitão do time, então tinha de falar com os outros jogadores. Mas a questão da entonação das palavras é muito difícil. Dentro de campo tirei de letra, fora foi complicado”. O jogador também conta que recusou iguarias locais, como aranhas, besouros e escorpiões. “O meu tradutor me falava que era bom, mas eu respondia que era melhor ele mesmo comer”, brinca.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]