Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Petraglia, Marin, Gomyde, Del Nero e Bacellar: dos sorrisos em março à defesa da liga em junho. Mudança de postura com respaldo do torcedor. | Rafael Ribeiro/CBF
Petraglia, Marin, Gomyde, Del Nero e Bacellar: dos sorrisos em março à defesa da liga em junho. Mudança de postura com respaldo do torcedor.| Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Se dependesse da vontade de metade da população paranaense, os nossos times deveriam fazer oposição à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Isso é o que mostra um levantamento feito pelo Paraná Pesquisas entre os dias 20 e 24 de junho, quando foram entrevistadas 1.344 pessoas no estado.

No total, 49,3% disseram ser favoráveis a ficar do lado oposto ao da entidade, quando questionados a respeito. A favor da gestão atual na confederação, 28,5%. Os 22,2% restantes não souberam ou não opinaram sobre o assunto.

A margem de erro é de aproximadamente 2,5%.

A insatisfação dos paranaenses com o órgão máximo do futebol é resultado, entre outras decepções, com as prisões na Suíça de dirigentes da Fifa envolvidos em corrupção. Entre eles está o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, detido desde o dia 27 de maio.

ESPECIAL Confia nossa página sobre corrupção no futebol

A opinião dos torcedores, no entanto, vai de encontro com a atitude que os principais dirigentes dos clubes do estado têm demonstrado. A estratégia de Atlético e Coritiba, por exemplo, tem sido aproximar-se da CBF para conseguir melhores condições para os clubes.

Um exemplo disso foi a visita no começo de março dos presidentes Mario Celso Petraglia e Rogério Bacellar ao atual dirigente máximo da entidade, Marco Polo Del Nero. A comitiva ainda contava com o então candidato a presidente da Federação Paranaense de Futebol, Ricardo Gomyde.

Na mesma pesquisa, a insatisfação com a CBF ficou latente. Em uma das questões, por exemplo, os entrevistados foram questionados se Del Nero deveria renunciar e 62,4% mostraram-se favoráveis. Os que querem que ele permaneça são 14,4%.

CARNEIRO NETO É preciso reconhecer: os cartolas têm o talento dos grandes atores

Quando o assunto é a organização do Brasileiro, o afastamento da entidade também tem amplo apoio da população. Cerca de 46,5% dos entrevistados mostraram-se favoráveis, o que consequentemente só poderia ser conseguido com a criação de uma liga, defendida pela dupla Atletiba, mas derrubada pelo menos por enquanto após a CBF prometer no início do mês dar mais poder aos clubes. Na pesquisa, 29,9% preferem que a CBF siga organizando o campeonato .

A prova de que a entidade já não estava com moral entre os paranaenses foi a pergunta: “As denúncias de corrupção na CBF te surpreendem? ”. A maioria, 45,8%, disseram que não. Já 42,4 afirmaram que ficaram surpreendidos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]