Romário e Cruyff nos tempos de Barcelona. | /
Romário e Cruyff nos tempos de Barcelona.| Foto: /

Romário não escondeu a tristeza pela morte de Johan Cruyff. O Baixinho publicou em suas contas nas mídias sociais um post em que agradece o craque holandês, que o treinou no Barcelona nos anos 90, quando apelidou o brasileiro de “Gênio da Pequena Área”. O ex-atacante da seleção brasileira trabalhou com Cruyff entre 1993 e 1995 no Barça. Juntos, venceram o título espanhol de 1994, com Romário artilheiro com 30 gols.

Vítima de câncer, morre a lenda Johan Cruyff

Leia a matéria completa

Cruyff, 68 anos, que comandou a revolução tática no futebol com o “carrossel holandês” na Copa de 1974 e é o maior ídolo do Ajax e do próprio Barça, morreu nesta quinta-feira (24), em Barcelona. De acordo com um comunicado da família, ​​o ex-jogador e treinador estava ao lado dos familiares ”depois de uma dura batalha travada com câncer”.

“Ele foi, sem dúvida, o melhor treinador que tive, seus ensinamentos serão eternos na minha vida”, postou o Romário.

Agora senador, o Baixinho afirma que o que diferenciava Cruyff como treinador era a capacidade de desafiar seus jogadores sempre em busca da evolução. “Ele sabia como poucos valorizar e explorar o que cada membro da sua equipe tinha de melhor e ele sabia que minha habilidade era fazer gols”, reforça o agora senador.

  • Cruyff em ação na Copa de 74, quando o “Carrossel Holandês” revolucionou o futebol.
  • Cruyff com o troféu da Liga dos Campeões de 1972 pelo Ajax.
  • Cruyff - ao chão - após marcar o gol da vitória sobre o Brasil na semifinal da Copa de 1974.
  • Romário e Cruyff no Barcelona: Baixinho considera o holandês o melhor técnico que teve na carreira.
  • Cruyff no começo da carreira no Ajax.
  • Johan Cruyff morreu aos 68 anos, vítima de câncer no pulmão.
  • Johan Cruyff morreu aos 68 anos, vítima de câncer no pulmão.
  • Johan Cruyff morreu aos 68 anos, vítima de câncer no pulmão.
  • Johan Cruyff em seu instituo em Amsterdã.
  • Johan Cruyff morreu aos 68 anos, vítima de câncer no pulmão.
  • Ídolo maior do Barcelona, Cruyff ganou o título de presidente honorário do clube catalão.
  • Cruyff em ação na Copa de 74.
  • Cruyff em ação na Copa de 74.

No post, Romário também não deixou de citar sua história mais famosa com Cruyff . Em 1994, dias antes do clássico com o Real Madrid, o atacante pediu ao holandês uma folga para vir ao Brasil para o carnaval. Cruyff respondeu que se Romário fizesse dois gols do clássico, ganharia dois dias de folga.

“No dia seguinte, ele marcou seu segundo gol com 20 minutos de jogo e imediatamente fez um gesto para mim pedindo para sair, recordou Cruyff em entrevista em 2014 ao jornal francês L’Équipe. O motivo da pressa de Romário: o avião para o Rio de Janeiro sairia em menos de uma hora.

‘Futebol é simples, mas é difícil jogar simples’ - as frases e conceitos de Cruyff

Leia a matéria completa

“Cruyff também era uma pessoa justa. Lembro que eu sofria um pouco pela distância de casa. Naquela época, eu era o único jogador do Barcelona de fora da Europa. Ele, então, me concedia alguns dias a mais de folga para que eu pudesse descansar em casa”, recorda Romário na postagem em homenagem ao ex-treinador.

Cruyff também foi homenageado pelo Ajax, Barcelona e seleção holandesa, as três equipes pelas quais se destacou.

Leia o post de Romário sobre a morte de Cruyff:

Acordamos com a triste notícia da morte do meu amigo holandês Johan Cruyff. Tive o privilégio de tê-lo como treinador...

Publicado por Romário Faria em Quinta, 24 de março de 2016
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]