Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Stuttgart – Na estréia no Mundial de Stuttgart (ALE), ontem, as meninas da ginástica artística do Brasil fizeram bonito e garantiram vaga por equipes nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008. De quebra, nas eliminatórias, ficaram com a última vaga da final por equipes do Mundial, que contará com oito seleções. O time brasileiro ficou em oitavo, atrás de Estados Unidos, China, Romênia, Rússia, Itália, Inglaterra e França.

Boa parte das notas altas das brasileiras foi conquistada graças à boa atuação de Jade Barbosa. O melhor desempenho da ginasta foi nos saltos, somando 15.950 pontos. Levou 15.250 nas barras paralelas, 15.600 na trave e na prova de solo sofreu uma queda e ficou com apenas 13.725, sua menor nota.

Recuperada da torção no tornozelo esquerdo que sofreu durante o Pan do Rio, Daiane dos Santos recebeu 14.350 no solo. A ginasta não executou o "Dos Santos", elemento mais complicado da sua série. No total, a equipe, que conta também com Daniele Hypólito, Laís Souza, Khiuani Dias e Ana Cláudia Silva, somou 232.250 pontos.

Já o grupo masculino estréia hoje, a partir das 11 horas (de Brasília), lutando por vagas nas finais por equipes, aparelhos e individual geral. Em situação diferente das meninas, os brasileiros terão um caminho duro para classificar a equipe, já que precisam ficar entre os 12 primeiros. "No Mundial do ano passado, em Aarhus, na Dinamarca, o Brasil ficou em 18.° lugar. Nosso objetivo é subir muitas posições e tentar levar o maior número de ginastas para a Olimpíada", diz Diego Hypólito.

O ginasta, um dos favoritos na prova de solo, está confiante: "Treinei bem forte os seis aparelhos neste fim de semana. O mais importante será no primeiro dia passar com séries ‘limpas’ em todos os aparelhos."

Diego acredita que, nos aparelhos, tem chances de chegar entre os oito melhores do mundo no solo e no salto, suas especialidades: "No solo, minha nota de partida sairá de 16,80 e lutarei muito pela medalha de ouro, que irá carimbar meu passaporte para Pequim. Mas não será fácil. Terei de competir com o atual campeão mundial, o romeno Marian Dragulescu. Já no salto (16,60), vou realizar os mesmos que fiz no Pan, quando conquistei o ouro", explicou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]