Sting: sem dom para as rimas | Arquivo Gazeta do Povo
Sting: sem dom para as rimas| Foto: Arquivo Gazeta do Povo

Em 2007, o Atlético é Ferreira e mais dez. A importância do meia colombiano para a equipe é inegável, e a impossibilidade de contar com ele representa bem mais do que o desfalque de um titular. Contra o Juventude, na última rodada, sua ausência repercutiu no empate por 0 a 0. Hoje, frente ao América, às 17 horas, na Arena, a esperança entre os atleticanos é que o baixinho continue decisivo.

Nas duas últimas vezes que vestiu a camisa rubro-negra, Ferreira foi responsável direto por seis pontos conquistados, sobre Botafogo e Vasco. Frente ao Fogão, o meia, deslocado para o ataque, deu duas assistências para gol, passes para Jancarlos e Michel na vitória por 2 a 0. Depois, diante dos cruzmaltinos, balançou as redes de cabeça aos 44 minutos do segundo tempo, marcando o gol solitário do confronto.

Com ele deslocado de posição, medida tomada por Ney Franco, o Furacão tem 60% de aproveitamento dos pontos — venceu 6 dos 10 jogos em que utilizou essa formação. Já sem seu camisa 11, foram oito partidas e somente uma vitória, cinco empates e duas derrotas, alcançando 33,3% de aproveitamento.

Após as duas vitórias na Arena, o colombiano foi convocado pelo técnico Jorge Luis Pinto para integrar a seleção de seu país pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Atuou como titular nos dois empates sem gols frente Brasil e Bolívia. Enquanto isso, em Caxias do Sul, o atacante Dinei foi seu substituto.

Entre a torcida, ele é unanimidade, sempre o mais ovacionado pelas arquibancadas. E entre os colegas, a moral é a mesma. "O Ferreira é identificado com o clube, tem muito carinho dos torcedores, só isso já representa muito. E importantíssimo na parte tática e técnica. Espero que ele volte como vinha jogando, fazendo gols e dando passes", aponta o volante Claiton, capitão da equipe. E com o "chefe" Ney Franco, o atleta desfruta de prestígio antes mesmo do mineiro pintar na Baixada. No ano passado, quando Franco dirigia o Flamengo, votou em Ferreira para o meio-de-campo na eleição dos melhores jogadores do campeonato.

Naturalmente, um retorno a ser comemorado, "Todas as vezes que participou ele contribui muito na parte técnica. É um reforço para esse jogo, espero que ele e todos os demais estejam bem para que possamos ganhar mais uma", avalia Ney Franco.

Sobre se votaria mais uma vez em Ferreira, o treinador aponta a performance ruim do Furacão no Brasileiro como um prejuízo para a avaliação. "É um jogador de qualidade, mas em virtude do Atlético não ter feito uma boa campanha, ele ficou um pouco escondido, não só ele. Mas tem tudo para estar novamente entre os melhores".

Na TV: Atlético x América, às 17h, no Premiere FC.

* * * * *

Em CuritibaAtlético x América

AtléticoVinícius; Rhodolfo, Danilo e Antônio Carlos; Jancarlos, Valencia, Claiton, Netinho e Michel; Marcelo Ramos e Ferreira. Técnico: Ney Franco.

AméricaSérvulo; Carlos Eduardo, Rogélio e Róbson; Ney Santos, Marquinhos, Tony, Reinaldo e Leandro Sena; Geovane e Wesley Brasília. Técnico: Paulo Moroni

Estádio: Arena. Horário: 17h. Árbitro: Francisco de Assis Almeida Filho (CE). Auxs.: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ) e Ângela Paula Régis Ribeiro (MG).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]