|
| Foto:

Blog Caixa Zero: Fruet chama Ducci e Ratinho de esquizofrênicos

E não é que Fruet reagiu mesmo? Depois de prometer na noite de ontem que iria ser mais duro com o prefeito, o pedetista usou a entrevista para a BandNews FM na manhã desta quinta para fazer várias críticas a Luciano Ducci

Leia texto completo

No dia seguinte à divulgação da pesquisa Datafolha, o candidato à prefeitura de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) pediu que simpatizantes e militantes redobrem o esforço na campanha. A declaração foi dada em entrevista à rádio Band News FM, na manhã desta quinta-feira (30). O pedetista está com 20% das intenções de voto, ante 23% do levantamento anterior - diferença dentro da margem de erro, portanto.

"Não brigo com pesquisas", disse o candidato. Segundo ele, a partir de agora, a população passará a avaliar os concorrentes e conhecer as propostas de cada candidato. Fruet disse que as pesquisas apontam que Curitiba terá segundo turno, o que é benéfico para a cidade.

A aliança com o Partido dos Trabalhadores (PT) e o mensalão foram dois temas sobre os quais Gustavo Fruet voltou a falar. "O combate à corrupção não tem partido", afirmou. O ex-deputado foi um dos políticos de oposição mais atuantes no Congresso quando o escândalo do mensalão foi revelado.

O candidato disse que a aliança com o PT é programática e que será benéfica para Curitiba, por aproximá-la do governo federal.

Ao falar do PT, Fruet criticou os adversários. Segundo ele, os rivais criticam o partido, mas não deixam de tentar atrelar a imagem ao governo federal, principalmente à presidente Dilma Rousseff.

Críticas à atual gestão e propostas

Gustavo Fruet criticou a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB), candidato à reeleição, por não ter concluído a licitação do lixo e por conta dos radares. O pedetista prometeu fazer uma nova licitação para o lixo. Ele disse também que fará um novo estudo sobre o metrô.

Para o candidato, a campanha do adversário não quer discutir questões como as irregularidades na Câmara Municipal e nem dos radares, que culminou com a quebra de contrato com a empresa Consilux.

Se eleito, Fruet prometeu ampliar os investimentos na área da educação de 26% para 30% ao ano, criar 15 mil vagas em creches, melhorar o plano de cargos e salários de educadores e professores e também destinar 1/3 da jornada de trabalho da categoria para hora-atividade.

Outra promessa do candidato do PDT foi erradicar a pobreza e o analfabetismo. Investimentos em habitação e transferência de renda também fizeram parte do discurso do concorrente.

Metodologia

A segunda pesquisa do Datafolha foi realizada entre os dias 28 e 29 com 832 eleitores. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos. O registro no TRE-PR tem o número 00085/2012.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]