i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
mma

Wanderlei Silva planeja volta à ativa em superlutas

  • PorFernando Rudnick
  • 29/01/2016 18:23
Wanderlei Silva quer fazer superlutas | Hugo Harada/Gazeta do Povo
Wanderlei Silva quer fazer superlutas| Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Wanderlei Silva completa 40 anos em 2016, mas riscou seu nome da lista de lutadores aposentados.

Wanderlei Silva diz que Lula fez dele “bode expiatório”

Leia a matéria completa

Após entrar em acordo com o UFC para conseguir a liberação de seu contrato – fato que exigiu uma retratação pública por causa da acusação de lutas armadas contra o evento –, o paranaense está pronto para iniciar a terceira e última fase de sua carreira.

Lenda nos ringues do Japão, com seis títulos do Pride, mas sem alcançar os mesmo resultados na incursão aos octógonos americanos (apesar de nunca deixar de ser um campeão de audiência), ele agora estuda propostas para retomar a trajetória de lutador de outra forma.

Seu objetivo é protagonizar combates que atraiam a atenção do público de maneira especial, as chamadas ‘superlutas’.

“Eu gostaria muito de fazer superlutas, lutas espetáculo”, diz o curitibano criado no bairro Santa Felicidade à Gazeta do Povo.

“Porque são clássicos, porque hoje em dia não vemos o que víamos antes, lutas que paravam toda a cidade, tinha churrasco em todo lugar, não se via ninguém na rua. Quando eu lutava no Pride, ficava deserto isso aqui [Curitiba]. Isso que quero ver, fazer o glamour voltar”, explica.

O retorno ainda não tem data marcada, mas só deve acontecer a partir do segundo semestre. Antes, o Cachorro Louco vai retomar a rotina de treinos em Curitiba, para onde retornou após quase uma década vivendo em Las Vegas, nos Estados Unidos. Sob a orientação de André Dida, da Evolução Thai, Wand quer fazer um giro por diversas academias da capital.

CARREIRA: Relembre a trajetória de Wanderlei Silva

“Como não tenho academia fixa, vou treinar em vários lugares. Vou treinar com o mestre Noguchi, com o mestre Zito, vou treinar na Thai Boxe, vou na Chute Boxe, falar com o Mestrão [Rudimar Fedrigo]. Então vou fazer um tour para ajudar os caras, dar uma movimentada nas academias e para ver como cada uma está e sentir cada técnico”, fala.

Adriano Imperador vai jogar no Miami United, da quarta divisão americana

Leia a matéria completa

Wanderlei continua suspenso pela Comissão Atlética de Nevada por causa da fuga de um teste antidoping em 2014, quando estava com luta marcada com Chael Sonnen. O caso, que será julgado novamente nesse ano, porém, não o impede de se apresentar fora de Las Vegas.

Assim, ele garante que não faltam ofertas. “O telefone já tocou. Recebi proposta até da Chechênia. O presidente do país tem um grande evento e o cara me falou um número que eu quase dei um triplo carpado”, brinca o lutador, que entrou no octógono pela última vez em 3 de março de 2013. Na ocasião, ele nocauteou o americano Brian Stann no segundo round pelo UFC, em Saitama, no Japão.

Muito tempo de ociosidade para quem ostenta 49 lutas no cartel desde 1996 – média de quase três por ano. “Vou te falar, estou com vontade [de lutar]. Sabe, parei há dois anos. Imagina você não pode fazer mais seu trabalho. Fiquei perdido, não tinha o que fazer, para onde ir. Acabou minha rotina de treino, para mim foi bem difícil. Realmente estou sentindo falta de ter um adversário, de ter uma data, de ter um desafio”, conta o paranaense, que até sugere um rival.

“Sabe um cara que queria enfrentar? O Kimbo [Slice, de 40 anos, atleta do Bellator, conhecido por ser ex-lutador de rua]. E eu não ia levar ele para o chão. Ia fazer uma luta em pé, um showzaço para o pessoal”, garante.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.