Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Muros do CT Rei Pelé amanhceceram pichados com a inscrição "fora Ganso" | Nirley Sena / A Tribuna de Santos
Muros do CT Rei Pelé amanhceceram pichados com a inscrição "fora Ganso"| Foto: Nirley Sena / A Tribuna de Santos

Os protestos da torcida do Santos contra Paulo Henrique Ganso não aconteceram apenas na arquibancada da Vila Belmiro, onde a equipe foi derrotada por 3 a 1 pelo Bahia, na noite de quarta-feira (29). Após o jogo, torcedores também expuseram a ira na saída do estádio e no CT Rei Pelé, o que assustou o jogador.

Dentro da Vila, Ganso já havia sido alvo de gritos de "mercenário", "fora, Ganso", além de uma chuva de moedas. E os protestos continuaram fora do estádio. Na saída dos jogadores, o meia voltou a ser xingado e ameaçado.

No CT do clube, para onde os atletas foram levados após a partida, Ganso também foi alvo de protestos. O jogador, que tem segurança particular, ficou assustado com a manifestação. Por isso demorou bem mais tempo do que o normal para deixar o local.

Durante a madrugada, o muro do CT do Santos, que expõem imagens de jogadores e momentos históricos do clube, foi pichado com a inscrição "fora, Ganso", além de um cifrão, em uma suposta alegação de que o jogador seria mercenário.

O clube ainda não se pronunciou sobre os protestos, apesar de o técnico Muricy Ramalho e de jogadores terem saído em defesa de Ganso após o jogo contra o Bahia. Também não foi informado se a segurança pode ser reforçada.

A crise entre Santos e Ganso não é recente, mas se intensificou nos últimos dias, após o São Paulo revelar interesse na contratação do jogador. Em uma entrevista, ele declarou que "seria um prazer" atuar pelo clube do Morumbi, o que irritou dirigentes e torcedores santistas. A diretoria interpretou como uma declaração de que ele desejava mudar de time e soltou uma nota oficial criticando-o.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]